25 de setembro de 2020
Campo Grande 36º 22º

Puccinelli pode deixar governo amanhã e Giroto deve permanecer como secretário

O governador André Puccinelli (PMDB) acabou de anunciar que o secretário estadual de obras Edosn Giroto deve permanecer no governo, com isso, André, indiretamente, confirma sua saída do governo para concorrer ao Senado.

"Ontem à noite senos reunimos e nós dois tomamos nossa decisão. Acho que ele fica no governo e eu, se for sair, vou enviar uma mensagem para o Jerson amanhã", afirmou Puccinelli. Ontem em entrevista à imprensa, o governador havia dito que "dois jogadores do mesmo time não podem sair ao mesmo tempo" em referência à saída dele e de Giroto do governo.

Em tom de brincadeira, o governador afirmou que pedirá ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Jerson Domingos, que fique "quieto" e mantenha segredo até a publicação de sua exoneração, caso se concretize, no Diário Oficial do Estado.

Já em relação ao restante dos secretários, o governador garantiu que até amanhã todos serão exonerados, mas ainda não confirmou os nomes dos substitutos. Ao que tudo indica saem a secretária Tereza Cristina (Seprotur) que será substituída pelo atual adjunto Paulo Engel; Simone Tebet, que deixa Secretaria de Governo, no entanto ainda não nome para substituto; José Carlos Barbosa, que deixa Sanesul sob o comando do secretário adjunto Victor Yasbeck e Carlos Marun, secretário de Obras, que tenta convencer o governador a nomear Paulo Matos, ex-diretor da Emha de Campo Grande, em seu lugar.

André é o entrave de Giroto

O pré-candidato do PMDB ao governo do Estado, Nelson Trad Filho, observou que a exoneração de Giroto é um "ato solitário assim como a renúncia de André". Nelsinho afirmou que o secretário seria um bom nome para vice em sua chapa, mas reconhece que Giroto pertence a um status dentro do governo do Estado de extrema importância por estar à frente da pasta de obras e ser responsável pela maior parte da execução do principal pacote de obras públicas do governo estadual que é o MS Forte II, o que dificultaria a saída do secretário do cargo. Outro fator de entrave para que Giroto tome sua decisão, segundo Nelsinho, é o governador André Puccinelli, que ainda não se decidiu se fica ou não no governo. " O que trava o andamento das conversas é esse vai ou não vai do governador ao Senado, porque se ele for, o Giroto fica."

Heloísa Lazarini e Tayná Biazus