05 de maro de 2021
Campo Grande 28º 21º

Nova direção

Santa Casa tem novo presidente que tem como desafio imediato concluir Hospital do Trauma

Nesta sexta-feira (15) foi publicado o edital de abertura de licitações para contratação da empresa que fará a conclusão das obras da Unidade do Trauma. O convênio foi aprovado nesta quinta-feira (15) pelo presidente da Santa Casa Esacheu Nascimento , pelo prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP), pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e pelo Ministro da Saúde, Marcelo Castro.

No edital que foi publicado sexta-feira (15) no Diário Oficial do Estado, contém a lista de documentos da licitação propriamente dita, o Termo de Referência, os Projetos Arquitetônicos e Complementares, além da Planilha Orçamentária aprovada pelo Ministério da Saúde.

A conclusão da obra ampliará a capacidade instalada da Santa Casa em 126 novos leitos, sendo 98 deles de internação, dez Unidades de terapia intensiva (UTI), 18 de observação, além de cinco salas de cirurgia. Os valores envolvidos no aditivo de conclusão foram estipulados em R$ 4,119 milhões do município de Campo Grande e Ministério da Saúde, R$ 2,145 milhões especificamente Ministério da Saúde, R$ 1,694 milhões do Estado de Mato Grosso do Sul e R$ 890 mil da ABCG - Santa Casa de Campo Grande.

Posse do novo presidente

Na noite desta quarta-feira (13) aconteceu à transferência de cargo da diretoria da Associação Beneficente de Campo Grande (ABCG), Santa Casa. O presidente que assumiu o cargo é Esacheu Nascimento, o evento aconteceu no Auditório “Carroceiro José Bonito” situado no prédio do Hospital.

O vice-presidente para os anos de 2016/2017 será Jesus Alfredo Ruiz Sulzer, o diretor-secretário, Heitor Rodrigues Freire e seu adjunto, Arly Rosa Serra, o diretor de finanças Milton Ferreira dos Santos e seu adjunto, Marcos Alceu Villalba. Além da diretoria executiva, tomam posse o Conselho de Administração e Conselho Fiscal, este último ficará no cargo por quatro anos, entre 2016 e 2019.

O novo presidente fez um discurso onde disse que a Santa Casa é um ideal que vem de datas anteriores com o mesmo objetivo, servir outras pessoas. “Na verdade, se repetiu aqui um ideal de voluntariado que vem dos anos 1.400, quando surgiram as primeiras Santas Casas em terras de Portugal”, disse Nascimento.

Segundo o novo presidente , a excelência deve se mostrar com o acolhimento humano aos pacientes, com o cuidado com a higiene e com a preservação do patrimônio institucional.

Por fim Esacheu Nascimento lembrou a Santa Casa e demais hospitais filantrópicos são especialistas em gerir com pouco, pois os números mostram a insuficiência da remuneração pelos serviços das mesmas, resultando na verdade, sendo estas as financiadoras da saúde pública no país.

O novo presidente da instituição já ocupa interinamente o cargo há alguns dias e assume com a missão de reanimar o voluntariado na manutenção da instituição, recolocando a sociedade sul-mato-grossense como protagonista e proprietária da Santa Casa.

Antes de Esacheu discursaram o ex-presidente da instituição, Wilson Teslenco, o diretor clínico da Santa Casa, doutor José Mauro, o arcebispo da Capital, Dom Dimas Lara Barbosa e o prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal.

A obra

A obra iniciou como uma ampliação da Santa Casa de Campo Grande na década de 1990. Em 2010 foi relançada no formato de unidade hospitalar voltada à traumatologia. Em 2012 as obras foram paralisadas.

Já em 2013, o Ministério da Saúde solicitou uma reformulação da obra em função de inconformidades encontradas no projeto para a construção do hospital. De acordo com órgão, depois de fiscalizações feitas em 2013, foram detectadas "inconsistências e incompatibilidades entre o projeto apresentado e o orçamento final da obra".