13 de agosto de 2022
Campo Grande 30º 15º

POLÍTICA | INTERIOR

Secretário Caio Augusto pede as contas em Ponta Porã; 'Decisão pessoal'

Durante a feira Ponta Agrotec, prefeito teria se esquecido de mencionar o esforço do secretário para realização do megaevento

A- A+

O secretário municipal de Desenvolvimento Regional, Indústria, Comércio e Turismo de Ponta Porã, Caio Augusto Souza Moraes (PSD), entregou o cargo nesta sexta-feira (06.mai.2022), logo após compor a mesa da feira de agronegócios Ponta Agrotec, junto ao prefeito Hélio Peluffo (PSDB). No local, segundo aos sites da cidade, o prefeito elogiou o vice Eduardo Campos (PSDB) e se esqueceu de agradecer o trabalho de Caio, que foi o que mais se esforçou pelo evento. Tal atitude teria 'irritado' Caio. O ex-secretário, porém, diz que não saiu por isso. (Entenda abaixo).  

Art. 1º - Fica o senhor Caio Augusto César de Souza Moraes exonerado, a pedido, do cargo de Secretário Municipal de Desenvolvimento Regional, Indústria, Comércio e Turismo, código 1.01, símbolo AGP-1. Art. 2º - Este Decreto entrará em vigor a partir da data de sua publicação — diz o DECRETO Nº 9.178, DE 06 DE MAIO DE 2022.  

QUEM É CAIO? 

Esse é Caio, numa foto publicada na sua rede social Instagram em 15 de fevereiro de 2022. Foto: Reprodução Esse é Caio, numa foto publicada na sua rede social Instagram em 15 de fevereiro de 2022. Foto: Reprodução 

Bacharel em Direito, Pós- graduado em Direito Tributário e MBA em Comércio Exterior. Caio foi vereador pelo PSD (MS) de 2013 a 2016, quando foi presidente da Câmara Municipal de Ponta Porã.

Em 2016 foi eleito vice-prefeito em Ponta Porã, integrando o 1º mandato de Peluffo.

Após 4 anos, o prefeito escolheu o tucano Eduardo Campos para compor a chapa da reeleição em 2020. Eles saíram vitoriosos nas urnas, com isso, Peluffo ofereceu ao ex-vice o cargo de Secretário Municipal de Desenvolvimento Sustentável, função que ele desenvolveu até esta sexta-feira.  

O QUE ACONTECEU NA FEIRA? 

Ponta Agrotec em Ponta Porã - MS. Foto: Reprodução Ponta Agrotec em Ponta Porã - MS. Foto: Reprodução 

O site Ponta Porã em Dia sustentou que o pedido de exoneração veio após o prefeito discursar a favor de seu vice-prefeito, tecendo elogios por seu desempenho. "Esse discurso de fato ocorreu, mas minha decisão de querer sair não foi pelo discurso ou qualquer briga, ou qualquer situação alheia a isso. Foi um posicionamento político nosso, uma decisão pessoal de sair da secretaria. Porque eu peguei Covid, fiquei internado na UTI, saí e logo em seguida assumi a secretaria. Uma decisão pessoal, para dar uma descansada, ficar com a família... então, não tem nada, não tem brigas, não tem rusgas, não tem nada", explicou Caio ao MS Notícias.  

Perguntado sobre quais 'fatos' levaram a essa decisão política, Caio disse que precisava reformular essa declaração. "Eu acredito que todos nós cometemos equívocos, às vezes no calor do discurso falamos algumas coisas que às vezes não tem sentido...", nesse momento, a ligação teve problemas e caiu. 

A reportagem voltou a ligar para o ex-secretário. Quando solicitado que ele continuasse, Caio voltou a sustentar que a situação foi pessoal, mas que sentia gratidão em relação ao prefeito Peluffo. "Eu sou muito grato ao Hélio pela oportunidade. A gente conseguiu colocar vários projetos em execução. Trabalhamos muito forte com a comunidade indígena, hoje Ponta Porã é uma referência, compramos mais de 30 mil reais produzidos pela agricultura familiar, pela comunidade indígena. Tanto a Agrotec, um evento de sucesso, a viabilização do Porto Seco*, que é um fato que está acontecendo hoje e a implantação do Parque Tecnológico...  então, são vários trabalhos que a gente conseguiu desenvolver aí nesses 1 ano e 5 meses. Então, eu tenho uma gratidão aí pelo prefeito, pela oportunidade", enumerou. 

Caio disse que as reportagens veiculadas que apontavam 'atrito' como motivo de sua saída, são conteúdos 'tendenciosos'. "É uma matéria tendenciosa, né? Aqui a gente tem alguns sites tendenciosos, que eles não perguntam para a pessoa o que de fato aconteceu. Então, a versão oficial que aconteceu é essa que estou dizendo", declarou.  

Para Caio, as falas que antecederam a de Peluffo indicaram que a Secretaria se esforçou para promover a feira. "Tinha mais de 4 mil pessoas no evento. Eu acredito que o Hélio sempre tem feito isso, tem tido esse cuidado de falar das pessoas políticas que estão ao seu redor, dos secretários. De fato, eu já estava compondo a mesa, não teria necessidade é... todas essas falas, que antecederam as falas dele, houve um agradecimento direto a secretaria de Desenvolvimento, tanto para mim, como secretário, pela grandeza do evento, por colocar Ponta Porã no cenário nacional de Feira de Agronegócio, um evento inédito! A gente conseguiu mostrar um pouco mais das coisas bonitas que Ponta Porã tem. Então, assim, eu me senti parabenizado pelo evento, de forma alguma eu me senti ofendido pelo discurso dele", sustentou o ex-secretário. 

Apesar disso, na sequência, Caio disse que valoriza a personalidade de Peluffo. "Eu valorizo muito o posicionamento dele de falar das pessoas que estão no entorno dele, mas tudo foi uma decisão pessoal minha mesmo, de querer sair", reforçou. 

Caio também foi vice-presidente do PSD em MS. Quando perguntado se fará alguma movimentação política, ele disse que não. "Não, não tenho nada em mente agora. Vou sair, vou tirar umas férias agora, vou curtir minha esposa e minha filha. E logo mais a gente tem várias propostas, sou filiado num partido político, estou como vice-presidente aí no PSD. Fui convidado para estar à frente de uma eleição, mas estou aguardando, e agora nesse momento estou mais para ficar com a minha família", finalizou. 

*Porto Seco de Ponta Porã será um porto seco que será implantado em Ponta Porã, no interior de Mato Grosso do Sul, sendo destinado à armazenagem e à inspeção de cargas.