24 de setembro de 2021
Campo Grande 36º 21º

Política

Segunda noite de toque de recolher foi marcado por descumprimento do Novo Decreto Estadual

A- A+

Na noite desta segunda-feira (15/03) as equipes da Vigilância Sanitária, Policia Militar e Bombeiros estiveram realizando rondas pela cidade.  

Segundo o Comandante da Policia Militar foi uma noite atípica, "Não tivemos denuncia de aglomerações, porém a equipe da Vigilância Sanitária teve que fechar alguns estabelecimentos que estavam abertos após o toque de recolher", disse o Comandante da Policia Militar Edcezar. 

As equipes estão sendo formadas por 4 policiais militares, 2 bombeiros e 4 Fiscais Sanitários. 

Vale ressaltar que a Vigilância Sanitária está trabalhando intensamente na fiscalização do comércio diurno e noturno, a equipe está formada não somente com os fiscais da vigilância, mas também conta com fiscais da secretaria de obras e tributo.  

Durante o horário do toque de recolher, somente poderão funcionar os serviços de saúde, transporte, alimentação por meio de delivery, farmácias e drogarias, funerárias, postos de gasolina e indústrias e os supermercados e congêneres, não se incluindo lojas de conveniência, ficando expressamente vedado o consumo de gêneros alimentícios e bebidas no local, bem como o acesso simultâneo de mais de uma pessoa da mesma família, exceto nos casos em que for necessário acompanhamento especial, respeitando-se o horário determinado no seu Alvará de funcionamento.  
 

Aos sábados e domingos, os serviços que não são classificados como de natureza essencial terão regime especial de funcionamento. Só poderão abrir e atender o público entre 5 e 16 horas. 

A Vigilância Sanitária deve atuar sempre que necessário em conjunto com as forças policiais fiscalizando o comércio. Já no caso de aglomerações civis (festas e eventos) a responsabilidade da atuação será dos órgãos de segurança pública. Para denúncias do comércio ligue 98467-0481 e para denúncias de aglomerações civis ligue 190 ou 99984-9868. 

Toda ação para conter a Covid-19 é para evitar que Maracaju também entre em Colapso na saúde, tendo em vista que no estado os leitos estão em 106% de ocupação, sem vagas para UTIs e sem previsão de chegada de mais doses das vacinas contra a Covid-19. 

Casos alarmantes que precisam mais do que nunca de conscientização da população e medidas drásticas para que Maracaju continue diminuindo os casos da Covid-19.