16 de abril de 2021
Campo Grande 32º 20º

Kit Barraco

Siufi dispara contra Bernal: 'Remoção de famílias é vergonhosa e rídícula'

O vereador Paulo Siufi (PMDB) criticou prefeito Alcides Bernal (PP) diante da remoção das 450 famílias da favela Cidade de Deus, no bairro Dom Antonio Barbosa. Segundo vereador, Bernal agiu de forma ‘nefasta’ na contramão dos demais prefeitos brasileiros ao transferir famílias e uma barraco para outro sem entrega de casas populares.

“Todas as cidades no Brasil fizeram tiraram famílias de favelas e colocaram em programas habitacionais. Esse prefeito que está aí faz contrário. Ele tira de um barraco e coloca em outro pior. As pessoas tiveram que armar suas barracas, suas lonas isso é vergonhoso, as pessoas vieram me procurar pedir ajuda. Que melhoria eles tiveram? Nem de higiene nem de segurança, nada”.

Siufi pretende acionar a Mesa Diretora da Câmara para que alguma providência seja adotada no sentido de garantir melhores condições de moradia das famílias removidas da favela Cidade de Deus. A remoção aconteceu nesta segunda-feira (7) e as famílias foram transferidas para bairros Vespasiano Martins, Los Angeles e Dom Antonio. Conforme nota emitida pela Prefeitura de Campo Grande nesta segunda-feira (7), as famílias “terão crédito no Banco Canindé para poder comprar materiais de construção para poder construir suas novas casas agora de alvenaria. Além dessa ajuda a prefeitura ainda vai subsidiar os terrenos que será divido o valor entre o morador e a prefeitura. O morador poderá pagar esse terreno em pequenas prestações ao longo dos anos.”

Para o vereador Mario Cesar (PMDB), a situação vai além da transferência sem planejamento. Mario criticou a gestão de Bernal por não ter desenvolvido projetos na área de habitação e adotar medidas paliativas. "As pessoas estavam em situação ruins, mas estavam acomodadas, em quatro anos não tivemos um projeto habitacional, todas as casas entregues ainda são da época de Nelsinho. Do jeito que foi feito não há planejamento nenhum. O problema é que não há para essas pessoas nenhuma garantia de moradia. Dessa maneira não dá certo", disse Mario.

Siufi considerou a ação ‘ridícula’ diante da falta de planejamento. Muitas famílias entraram em contato com redação do MS Notícias para denunciar que receberam apenas lonas e alguns pregos, nada mais, e que os 150 funcionários da Prefeitura que ajudariam as famílias a fazer a mudança, conforme prometido pela diretora da Agereg, Ritva Vieira, não apareceram em nenhum dos bairros.

“É vergonhoso. Ele está estabelecendo um novo tempo. O tempo do espanto. Esse kit barraco, isso é brincadeira. Já falei agora com a mesa e temos que tomar providências. Levar ao Ministério Público para interferir nessa ação nefasta do prefeito”.