21 de abril de 2021
Campo Grande 32º 18º

CORONAVÍRUS

STF determina que Governo Federal reabra UTIs fechadas em meio ao avanço do vírus

Tribunal precisou intervir por estados abandonados pela gestão bolsonarista

A- A+

A ministra do Supremo Tribunal Federal Rosa Weber atendeu a um pedido de São Paulo, Maranhão e Bahia e determinou que o governo federal reative leitos de UTI fechados nos três estados em janeiro e fevereiro. Segundo ela, não é “cientificamente defensável” que o governo federal feche leitos num momento de alta nos casos da doença. Já o Ministério da Saúde considerou a ação dos estados “injusta e desnecessária”.

Em mais da metade dos estados brasileiros a ocupação de leitos de UTI já supera 80%, o que indica a iminência de um colapso com o aumento dos números de casos provocados por novas variantes.

A situação segue grave em todo o país. Pelo segundo dia seguido foi quebrado o recorde de maior média móvel de mortes em uma semana desde o início da pandemia, 1.208, com 755 óbitos ontem. Já são 255.018 mortos em um ano da doença. Doze estados e o Distrito Federal estão com alta nas mortes: PR, RS, SC, DF, MT, PA, TO, BA, CE, MA, PB, PI, RN. 

No revés, o presidente Jair Bolsonaro voltou a minimizar a situação, em especial a falta de leitos. “A saúde no Brasil sempre teve seus problemas”, disse ele no Facebook. Mais grave, na avaliação de Bolsonaro, é o fechamento do comércio com “desemprego em massa com consequências desastrosas para todo o Brasil”.

“Governadores e secretários de Saúde têm pedido ao ministro Eduardo Pazuello uma medida única para o país para frear o avanço da Covid-19. A resposta, porém, foi negativa. Representantes do Ministério da Saúde admitiram, em conversas privadas, que até veriam necessidade. Auxiliares do ministro, porém, já disseram que será impossível. Jair Bolsonaro não deixa.”, destacou a Folha.  

A postura de Bolsonaro ao longo de toda a pandemia se reflete na desarticulação do Ministério da Saúde e, ao mesmo tempo, no esgarçamento do pacto federativo, levando estados e municípios a buscarem formas descoordenadas de combater a Covid-19. 

Com os atrasos e confusões do Ministério da Saúde, que chegou a trocar lotes de vacinas para estados, entidades como a Frente Nacional dos Prefeitos (FNP) se organizam para formar um consórcio destinado a comprar vacinas diretamente dos laboratórios.

Já o Instituto Butantan informou que vai entregar mais 20 milhões de doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde até o fim de março. Neste domingo, a instituição já havia fornecido 600 mil novas doses, que devem ser distribuídas a partir desta 2ª-feira (1.março).

*Fonte: Meio.