02 de maro de 2021
Campo Grande 33º 21º

Política

Sucessão 2020: PSD afinado para costurar alianças pela reeleição de Marquinhos

A confirmação do advogado Antonio Cezar Lacerda Alves na presidência municipal do PSD, em convenção realizada no sábado, foi uma espécie de sinal verdade para que o partido possa abrir o caminho rumo aos entendimento visando à campanha pela reeleição de Marquinhos Trad. Porém, o próprio prefeito disse que as tratativas sobre eleições só vão acontecer a partir do momento certo, no próximo ano, porque a prioridade absoluta é a gestão da cidade.

Lacerda, que é secretário municipal de Governo do prefeito, faz igual avaliação e afirma: os entendimentos para a montagem das alianças só serão deflagrados a partir do instante em que o prefeito entender adequado e dentro de um contexto que não vai interferir o andamento do processo administrativo. Marquinhos vem repetindo insistentemente que de sua parte não permitirá a antecipação do jogo político e diz ainda que sua administração está blindada contra ingerências políticas.

No entanto, as conversas dos partidos e lideranças já colocam as sucessões municipais no centro temático, tendo Campo Grande, maior colégio eleitoral do Estado, como ponto de partida. A alta popularidade de Marquinhos Trad e a representativa composição de aliados que calçam sua gestão chegam a inibir forças interessadas eventualmente em fazer concorrência. Partidos como o PT, o PDT, o PP, o PSL e o PSC estão ensaiando o pré-lançamento de nomes nos próximos meses para aferir a receptividade dos eleitores.

O PSD, segundo Lacerda, dará continuidade a trabalho de arregimentação e formação de lideranças, além de preparar o terreno interno para os debates sobre estratégia político-eleitoral, apoio ao governo municipal e, e em seguida, no próximo ano, fechar as alianças e chapas. Com o fim das coligações proporcionais, cada partido será obrigado a lançar chapa pura na corrida para a Câmara de Vereadores. As alianças só serão permitidas nas disputas majoritárias, para prefeito.