15 de junho de 2021
Campo Grande 28º 15º

Suspeito de assassinado de jornalista paraguaio, ex-prefeito será ouvido sobre extradição em maio

A- A+

O ex-prefeito de Yphejú, no Paraguai, Vilmar Acosta Marques, preso na sede da Polícia Federal em Campo Grande desde o dia quatro de março deverá prestar depoimento na Justiça Federal no dia oito de maio na Justiça Federal. 

Segundo advogado de defesa de Vilmar, José Elnício Moreira de Souza, a justiça vai interrogá-lo para saber se ele é natural do Brasil ou Paraguay. Vilmar nasceu em Paranhos - distante 464 km de Campo Grande - mas foi naturalizado paraguaio.

O governo do Paraguai já solicitou ao governo brasileiro a extradição de Vilmar para que a justiça paraguaia possa julgá-lo pelos crimes de homicídio. Vilmar é acusado de promover chacinas na região de fronteira entre Brasil e Paraguai e suspeito de ter sido mandante do assassinato do jornalista Pablo Medina, do ABC Color, morto em outubro de 2014 em uma emboscada. Medina estava acompanhado da estudante de jornalismo Maribel Almada Chamorro, que também faleceu.

A defesa, no entanto, entrou com recurso na justiça alegando que ele é brasileiro por ter nascido de pais brasileiros em Paranhos e, por isso, exige que ele seja julgado no Brasil.