24 de janeiro de 2021
Campo Grande 29º 22º

Três Lagoas: Delcídio define com Petrobras regularização de pagamentos

O senador Delcídio do Amaral (PT) se reuniu nesta segunda-feira (7), com a presidente da Petrobras, Graça Foster, e o diretor de Gás e Energia da empresa, José Alcides Santoro, para discutir o andamento da construção da fábrica de fertilizantes em Três Lagoas.

No encontro, realizado na sede da estatal, no Rio de Janeiro, foi definido um cronograma para a regularização dos pagamentos devidos pelo consórcio construtor da obra aos fornecedores e prestadores de serviço em Três Lagoas e demais municípios da região.

“Foi uma reunião bastante produtiva, na qual manifestei a minha preocupação em relação ao andamento da obra e conversei sobre a necessidade de se colocar em dia, o mais rápido possível, os pagamentos aos fornecedores, feitos pelo consórcio Sinopec, Galvão & GDK - um passivo que chega a R$ 20,2 milhões. E aí veio a grande notícia: a presidente Graça Foster e o diretor Santoro me garantiram que, das 133 empresas com contas a receber, 101 terão as dívidas imediatamente quitadas.  Das 32 restantes, 22 vão receber até a próxima quarta-feira (9), e, em relação as outras 10, duas terão 50 % dos débitos pagos na quarta-feira e oito vão receber 30 % no mesmo dia.  A quitação completa dessas 10 empresas ocorrerá até 31 de julho. Ou seja, a partir de agosto, a construtora vai estar em dia com todos os fornecedores e prestadores de serviço, o que é extremamente importante para a economia de Três Lagoas e de toda a região”, garantiu Delcídio.

O senador revelou também que Graça Foster decidiu criar uma conta específica para vincular os repasses feitos pela Petrobras aos pagamentos efetuados pelo consórcio Sinotec & Galvão em Mato Grosso do Sul.

“Isso é muito importante porque garante prioridade a Três Lagoas e aos demais municípios do nosso estado, e acaba, definitivamente,  com os atrasos nos pagamentos aos fornecedores e prestadores de serviço”, explicou.

Cronograma

Delcídio pediu a Graça Foster que a Petrobras envie todos os esforços junto a construtora para que o cronograma da obra não sofra atrasos. A fábrica de fertilizantes, conhecida como UFN III, deve ter a primeira etapa em operação no dia 30 de setembro ou no começo de outubro.

Segundo a assessoria da Petrobras, atualmente, cerca de 7.500 trabalhadores estão em atividade na obra. Para operação da fábrica serão abertos 400 postos de trabalho permanentes em diferentes áreas profissionais, entre elas engenharia, administração, operação e funções técnicas (mecânica, elétrica, instrumentação, química), além de 1.200 empregos indiretos.

A UFN III terá capacidade de produção de 1 milhão 210 mil toneladas de ureia e 761 mil toneladas de amônia por ano. A fábrica será a maior unidade de fertilizantes nitrogenados da América Latina e dobrará a produção nacional de ureia. O investimento total é de R$ 3,567 bilhões. Com a construção da fábrica em Três Lagoas, o Brasil vai reduzir a dependência de fertilizantes importados, que hoje é de 66%, para 33%. Os estados que mais consomem este dois insumos são Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais e parte do Paraná, para onde se destinará a produção da fábrica.

Karla Machado