18 de abril de 2021
Campo Grande 30º 19º

Eleições 2016

Vantagem de Marquinhos sobre Rose é de 20 pontos, segundo Ibrape

Vantagem de Marquinhos sobre Rose é de 20 pontos, segundo Ibrape
(Pesquisa mostra que nem com os votos dos indecisos candidata tucana
conseguiria reverter intenções de voto)

Se as eleições fossem hoje, o deputado estadual Marquinhos Trad (PSD)
seria eleito prefeito de Campo Grande com folgada vantagem sobre a
vice-governadora Rose Modesto (PSDB). É o que apurou o Instituto
Brasileiro de Pesquisas de Opinião Publica (Ibrape), cuja amostragem
indica que mesmo se conseguisse a totalidade das intenções de voto dos
indecisos a tucana não mudaria o cenário, a uma semana da manifestação
dos eleitores nas urnas.
O Ibrape entrevistou 612 eleitores e eleitoras campograndenses com a
seginte pergunta: "Marquinhos Trad e Rose Modesto: se fosse votar
agora, em qual deles votaria para prefeito (a) de Campo Grande"?
Marquinhos Trad foi citado pela maioria dos entrevistados (52%),
enquanto 32% declinaram preferência por Rose. Os indecisos somam 5% e
o contibgente de quem pretende votar em branco, anular o voto ou não
pretende optar por nenhum dos dois concorrentes é de 11%.
Se forem considerados apenas os votos válidos nesta amostragem, a
dianteira de Marquinhos aumenta para 24 pontos: ele teria 62% contra
28% de Rose. A candidata do PSDB lidera a rejeição dos eleitores. À
pergunta sobre em qual dos finalistas não votariam de jeito nenhum 39%
dos entrevistados mencionaram o nome de Rose Modesto e 29% o de
Marquinhos. Não responderam a essa pergunta 32% dos eleitores.
Esses resultados se assemelham às demais pontuações já aferidas e
publicadas conforme a lei por outras empresas de pesquisa. Todas
indicam a consistência de Marquinhos Trad na liderança das intenções
de voto desde o primeiro turno. O Ibrape, responsável pela contratação
e realização desta pesquisa, utiliza margem de erro máxima de quatro
pontos percentuais e 95% de confiança. Foram entrevistadas 612 pessoas
nos dias 20 e 21 deste mês. O registro na Justiça Eleitoral tem o
protocolo MS-04667/2016.