07 de maro de 2021
Campo Grande 30º 20º

"CASA DOS HORRORES"

Vereador chama desafeto de "perebento e portador de demônios"

Toninho de Souza afirma que parlamentares podem transmitir doenças a pacientes da UTI do pronto-socorro de Cuiabá

Na Câmara Municipal de Cuiabá, que há vários anos é conhecida como “Casa dos Horrores” por causa de escândalos que vão desde corrupção a brigas intermináveis entre os próprios parlamentares, a troca de ofensas entre Toninho de Souza (PSD) e Abilio Júnior, o Abilinho (PSC), continua a todo vapor com um novo capítulo na sessão desta terça-feira (9). 

Dessa vez, Souza chamou o desafeto de ser “perebento” e ter “demônios no corpo”. O pano de fundo da briga que se arrasta há semanas, é o fato de Toninho de Souza defender o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) em votações no Legislativo Municipal, enquanto Abilinho vem protagonizando diversos episódios de denúncias sobre irregularidades na gestão do emedebista, em especial, na Secretaria Municipal de Saúde e no Hospital e Pronto-Socorro de Cuiabá. 

Na noite do dia 3 de abril, houve uma confusão no pronto-socorro envolvendo os vereadores Abilinho, Diego, Dilemário Alencar (PROS), Marcelo Bissuki (PSB) e Felipe Welaton (PV), integrantes do grupo de oposição. Naquela ocasião, eles foram expulsos da unidade por policiais militares e acusados de terem invadido o setor de UTIs (Unidade de Tratamento Intensivo) para expor a falta de insumos e medicamentos. 

Nesta segunda-feira (8), no aniversário dos 300 anos de Cuiabá, os 5 vereadores retornaram ao pronto-socorro e distribuíram 5 mil seringas e 10 mil luvas médicas que, segundo eles,  estavam em falta nas unidades de saúde. A ação do grupo de oposição foi uma forma de protesto contra a gestão de Emanuel Pinheiro. 

A nova visita para entrega de medicamentos foi criticada por Toninho de Souza nesta terça-feira. Ele alegou que a revolta de Abilinho ainda é sobre a expulsão do pronto-socorro na semana passada. Lembrou que uma enfermeira foi ao Legislativo e explicou sobre os procedimentos de higienização das mãos e demais cuidados para alguém entrar em UTIs. 

De acordo com Toninho, seu desato político representa risco aos pacientes das UTIs do Pronto-Socorro. “O vereador Abilio precisa se tratar, ele é perebento. Olhando as mãos dele há perebas. Ele é um risco de transmissão de doenças dentro de uma UTI”, denunciou Toninho, aos gritos, na tribuna.

Na sequência teve o som do microfone cortado e reclamou que tinha direito a falar. “Pra entrar numa unidade de saúde tem que estar são, não pode entrar dessa forma. Vocês estão dando medicamento então tratem do companheiro antes de entrar na UTI”, continuou. 

DEMÔNIOS NO CORPO 

Na sequência, Toninho disse que o presidente da Câmara, Misael Galvão (PSB), costuma ler salmos da Bíblia, mas tem que ir além e levar um pastor à Câmara de Vereadores “com poderio” de expulsar demônios. 

“Este vereador tem demônios no corpo, ele não é normal. Ele que frequenta igreja, nem a igreja aguenta o comportamento do Abílio. O senhor não traz a paz. O senhor traz perturbação a todo o ambiente. Então, Abílio primeiro pra usar a palavra de Deus precisa mudar radicalmente sua forma de pensar e agir. Quem é o senhor pra dar conselho falando de Deus ao Adilson da Levante?”, questionou Toninho ao finalizar seu discurso alegando que se Abilinho continuasse o assunto ele iria falar mais.