19 de abril de 2021
Campo Grande 31º 20º

Educação

Vereadora sugere suspensão de entrega de uniformes por baixa qualidade

“Isso depende do que é qualidade pra quem esta avaliando”

Para a vereadora Carla Stephanini (PMDB), que faz parte da Comissão de Educação da Câmara disse que a situação dos uniformes dos estudantes de Campo Grande, “causa perplexidade tanto a comunidade escolar quanto a população e inicia-se com o atraso na entrega dos uniformes, que me parece que já se tornou uma "praste", algo que é muito ruim e que se da a partir de 2013".

As afirmações não param por aí, a vereadora ainda relata que a câmara como um todo e especialmente a comissão de educação, querem um esclarecimento sobre a causa. "Mais uma perplexidade que a prefeitura causa a população e há de se suspender a entrega desses uniformes e realmente adotar uma medida judicial que vá periciar esse material", explica.

Fraude

Os uniformes que seriam entregues para os estudantes da Capital, fabricado pelas empresas Nicaltex Textil e Odilara Frassão calçados Eireli, ambas que estão sendo investigadas pelo Ministério Público Estadual (MPE), por fraude e superfaturamento que vêm sendo feitas não só aqui no Estado, mas também em São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Roraima. Apresentou os uniformes com etiquetas do Paraguai.

A equipe de reportagem do MS Notícias entrou em contato com a prefeitura e foi informada por meio da assessoria de imprensa, que a empresa vencedora da licitação atende todos os pedidos de regularidade. “Pra nós o que importa é a qualidade e nós comprovamos”, diz assessoria.

Baixa qualidade

A vereadora Carla Stephanini, não deixa barato e diz “isso depende do que é qualidade pra quem esta avaliando, quem sabe a qualidade pra quem esta avaliando não é a mesma pra quem esta recebendo os uniformes, pras famílias não é? Por que eles têm parâmetros de comparação, por que essa não é a primeira vez que se entregam os uniformes ele vem sendo oferecido a mais de décadas a nossa comunidade escolar, depende do que a prefeitura acha que é qualidade. Ocorre que visualmente o que podemos observar, pelo que nos chegou é de baixíssima qualidade", ataca.

O Ministério Público ainda investiga a Nilcaltex desde 2012. Segundo o site O Timoeiro, por fazer parte de cartel de fornecedoras de uniformes para escolas da rede pública. Ela figuraria num esquema de fraudes que envolveria pagamento de propina, financiamento de campanha e superfaturamento.

Sem resposta

Um ano depois dessa acusação a prefeitura de Campo Grande deu como vencedora da licitação a mesma empresa que ainda era investigada para fornecer os uniformes aos estudantes campo-grandenses.  O MS Notícias entrou em contato com as empresas investigadas, mas até a publicação desta matéria não obteve resposta.