25 de setembro de 2021
Campo Grande 36º 21º

'DIFÍCIL'

"Votou no Bolsonaro? Tá solteiro? Entre no bolsolteiros", diz anúncio no Whats do Governo

Mensagem enviada ao grupo da imprensa do Ministério da Saúde de Bolsonaro

A- A+

Bolsonaristas utilizaram um grupo feito pelo Ministério da Saúde para receber perguntas de jornalistas durante a coletiva de imprensa da pasta para capturar números de telefone e divulgar a página "Bolsolteiros", destinada a eleitores do presidente Jair Bolsonaro em busca de um relacionamento amoroso.

"VOTOU NO BOLSONARO? TÁ SOLTEIRO? ENTRE NO BOLSOLTEIROS", dizia a mensagem disparada por uma das integrantes do grupo a uma jornalista do GLOBO.

A reportagem entrou em contato com o número que enviou a mensagem, cuja dona é Elaine Souza, uma das criadoras do "Bolsolteiros", e que estava no grupo da coletiva do ministério. Ao GLOBO, Elaine relatou que o link do grupo da coletiva, destinado a jornalistas, chegou a ela por meio de um canal que o Ministério da Saúde mantém no Telegram.

— Não (sei quem me adicionou no grupo). Vou até sair desse grupo. Vi uma colega minha lá, acredito que tenha sido ela que me colocou. Ela também não é jornalista. Esse link do grupo foi divulgado no Telegram, e foi para várias pessoas. Várias pessoas estão entrando — disse, questionada se a lista do Telegram era destinada a bolsonaristas, ela explicou que se trata do canal oficial do próprio Ministério. — O próprio Ministério da Saúde. E isso está sendo divulgado. Não acho até legal, é complicado, porque pode entrar um monte de gente que não tem nada a ver.

Segundo Elaine, ela deve ter sido adicionada no grupo da imprensa por engano, mas aproveitou para fazer propaganda do "Bolsolteiros". A página está em funcionamento desde quando o presidente foi eleito e, de acordo com ela, já reúne mais de 7 mil pessoas no Facebook.

— Deve ter sido por engano (que enviei a mensagem), com certeza. É um grupo de bolsonaristas solteiros que foi feito logo que o presidente ganhou e está funcionando até hoje — afirmou. — Eu não sou jornalista, me botaram nesse grupo, eu nem sou. Mandei para algumas pessoas essa mensagem, e as pessoas vão entrando no grupo, alguns entram em contato para fazer matéria.

O GLOBO questionou o Ministério da Saúde sobre o ocorrido, mas a pasta ainda não respondeu.

FONTE: O GLOBO.