24 de fevereiro de 2021
Campo Grande 33º 21º

Política

Waldir Maranhão volta ao 14 e provoca exoneração do Secretário Geral

“Já tinha tomado a decisão de fazer na quinta e assim será”

A data da escolha do novo presidente da Câmara dos Deputados voltou a ser 14 de julho, diferentemente do que foi anunciado pelo Colégio de Líderes no fim do dia de ontem.

Foi a escolha do presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), no início da tarde desta sexta-feira (08), que a data se fosse na quinta-feira (14), antes das lideranças se reunirem e pouco tempo depois que Eduardo Cunha (PMDB-RJ) anunciou que estava deixando o cargo. “Já tinha tomado a decisão de fazer na quinta e assim será”, reiterou hoje, ao entrar em seu gabinete.

A decisão dos líderes criou impasse sobre a data, mas também acabou provocando a exoneração do Secretário Geral da Mesa (SGM) da Câmara, Silvio Avelino, que participou da conversa entre os parlamentares. 

Funcionário da Casa, Avelino que já comandou por 15 anos o Departamento de Comissões da Câmara, chegou à SGM com a eleição de Cunha. Maranhão não respondeu se já tem um novo nome.

Avelino explicou que foi chamado no começo da manhã na sala do presidente para ouvir a decisão. “Ele é o presidente. Só me resta acatar a decisão e esperar uma lotação na Casa”, disse.

O 1º secretário da Câmara, deputado Beto Mansur, antecipou hoje (8) que vai tentar ponderar e chegar a um acordo.

Apesar da declaração, deputados que não estão sob o guarda-chuva da base aliada ao presidente interino Michel Temer afirmam que, no encontro, não houve o acordo com número de líderes suficientes para bater martelo sobre a data da eleição do novo presidente da Câmara. (Informações do site Agência Brasil).