17 de abril de 2021
Campo Grande 31º 20º

Futebol

Seleção volta ao campo e da início a "era Tite"

Após dois meses de expectativa, Tite, enfim, estreará no comando da seleção brasileira. A partida desta quinta-feira (1) contra o Equador pelas Eliminatórias, no Estádio Olímpico Atahualpa, em Quito, marca uma mudança para time e treinador. No entanto, a rotina de pessoas, treinamentos e até esquema tático não será algo tão novo para o comandante. O jogo está agendado para as 17h (MS).

Tite terá em seu primeiro compromisso uma seleção com cara de Corinthians. Desde a formação da comissão técnica, passando pelos jogadores convocados, até o sistema de jogo, muita coisa lembrará a rotina do treinador nos últimos anos de Parque São Jorge. E isso não ocorre por acaso.

O novo comandante da seleção nunca escondeu a opção de ter por perto profissionais da sua confiança – dentro e fora de campo – e um esquema tático que já lhe fosse familiar.

"É um pouco o estilo do treinador. É o mesmo, então vai haver semelhança [com o Corinthians], sim. E nós que não trabalhamos com ele temos que procurar fazer o melhor, o que ele pedir, para a vitória ficar próxima", disse o capitão da equipe, Miranda.

Na formação da nova seleção, Tite coloca em prática muitos conceitos aperfeiçoados nas duas passagens pelo clube paulista, sobretudo a última delas em 2015 e 2016, com o título nacional do ano passado.

Bem ambientado, mesmo com apenas quatro dias de trabalhos com o novo grupo, Tite terá desafios complicados pela frente. O treinador pega uma seleção em situação delicada na disputa – são apenas nove pontos em seis jogos – e encara uma seleção que nunca perdeu no seu país para o Brasil nas Eliminatórias. O Equador jamais tropeçou em casa em 33 anos de duelos com brasileiros valendo vaga para a Copa do Mundo e sustenta uma invencibilidade de sete anos em Quito.

"Estamos falando de um adversário que merece respeito, são quatro pontos a mais que nós na tabela. Nós não estamos em uma posição confortável e que nos deixe confiante. Precisamos jogar futebol, necessitamos de um trabalho consistente. No final, se bem feito, ele pode ser plástico e bonito. Nossa missão é fazer um grande jogo", ressaltou Tite.

Líder das Eliminatórias, o técnico Gustavo Quinteros não chega a ter a mesma pressão de Tite. A maior preocupação do elogiado time equatoriano é a ausência do meia Antônio Valencia, do Manchester United, suspenso. Felipe Caicedo, gripado, perdeu alguns dos últimos treinos, mas não deve desfalcar a equipe. (Com informações do Globo Esport).