16 de setembro de 2021
Campo Grande 32º 21º

A partir desta quinta-feira os rios do estado começam a ser fiscalizados, a “Piracema” chegou

A- A+

A PMA (Polícia Militar Ambiental) definiu estratégia para operação piracema deste ano que terá início á meia noite desta quinta-feira (5), e tem data para terminar no dia 28 de fevereiro de 2016.

Todos os rios que cortam o estado de Mato Grosso do Sul, estarão fechados para pesca, em decorrência do período de piracema, época em que os peixes das duas bacias do estado (Paraná e Paraguai) estão se reproduzindo.

 A partir daí, a estratégia de fiscalização mantida durante a operação pré-piracema, ocorrida durante todo o mês de outubro, com fiscalização intensificada desde setembro, será alterada, visto que não mais haverá pescadores nos rios, a não ser àqueles que poderão praticar algumas modalidades de pesca.

Estratégia utilizada

Assim como nos anos anteriores esquema especial de fiscalização será mantido, contando com todo o efetivo da PMA, que é de 338 policiais, lotados em 25 Subunidades em 18 municípios.

Este esquema inteligente de fiscalização permite grande economia de recursos humanos e materiais, pois, em “piracema”, os peixes estão em cardumes, por isso, não adianta se ter um gasto enorme com combustível e pessoal subindo e descendo rios e perder cardumes por não manter vigilância nesses pontos vulneráveis, que são as cachoeiras e corredeiras.

Locais para monitoramento

Cachoeira Branca (Rio Verde) – Água Clara.

Cachoeira do Sossego (Rio Aquidauana) – Rochedo.

Cachoeira do Rio Anhanduí – Santa Rita do Pardo.

Cachoeira do Serrano (Rio Aquidauana) – Aquidauana.

Cachoeira do Morcego – Rio Aquidauana – Aquidauana.

Cachoeira das Palmeiras (Rio Taquari) – Coxim.

 Barra do rio Aquidauana com o Miranda - Município de Miranda.

 Parque Estadual Várzeas do Ivinhema – Parque

Cachoeira do Salto Pirapó – Rio Amambai – (Amambai)

Cachoeira do Rio Apa – Porto Murtinho.

Lancha para fiscalização

A área de divisa MS (Mato Grosso do Sul) e MT (Mato Grosso)T tem sido preocupação, antes do fechamento da pesca e também durante a operação piracema, pois pescadores pensam que estão protegidos, por causa da grande distância e o difícil acesso de alguns locais no pantanal, na região. Equipes já reforçam a fiscalização preventiva durante a operação pré-piracema.

Como na operação passada, nesta piracema, haverá continuidade na fiscalização em Posto Itinerante, que funcionará com uso da lancha de grande porte adquirida em parceria com o Ministério da Pesca. Equipes vão revezar á cada sete dias e permanecerão exercendo fiscalização preventiva e repressiva especialmente na área de fronteira com o Paraguai e Bolívia, tanto no rio Paraguai, como no rio Apa. Será também fiscalizada a região de divisa com o Mato Grosso, pelo Rio São Lourenço e Piquiri e atenção especial à área do entorno do Parque Nacional do Pantanal.

A lancha permite o conforto dos policiais, já que é equipada com cozinha, alojamento com ar condicionado, e sala de estar. A fiscalização preventiva e repressiva será fundamental para conservação dos estoques pesqueiros e consequentemente do Pantanal.