14 de junho de 2021
Campo Grande 27º 13º

Capital

Acusada de chefiar quadrilha "Vovó do crime" é presa em operação conjunta

'Vera teria participado de pelo menos oito assaltos de veículos na capital sul-mato-grossense e causado prejuízo de R$ 200 mil às vítimas'

A- A+

Uma operação conjunta entre as polícia Civil e Militar prendeu ontem, terça-feira, dia 27 de março, em Campo Grande, Vera Lúcia Ofimestre, 56 anos, que ficou conhecida como “Vovó do crime”. Segundo o portal G1, ela é suspeita de chefiar uma quadrilha que cometia roubos e execuções a mando de presidiários.

De acordo com as investigações, Vera teria participado de pelo menos oito assaltos de veículos na capital sul-mato-grossense e causado prejuízo de R$ 200 mil às vítimas, ao usar cartões de créditos roubados. Nesses casos, ela participou diretamente dos crimes, principalmente planejando a ação.

Entenda o caso

Conforme a Delegacia Especializada em Repressão a Furtos e Roubos de Veículos (Defurv), Vera Lúcia articulou o sequestro de um casal de noivos em 17 de fevereiro deste ano, o roubo do carro de uma universitária na Vila Planalto, no dia 13 de março, além de envolvimento em outros casos.

A suspeita agia com ajuda de jovens, sete deles presos após perseguição com tiros que terminou com carros recuperados na manhã seguinte ao assalto à universitária. Um vídeo gravado por policiais mostra a ação. De acordo com a polícia, ela buscava os jovens em casa para execução dos crimes.

No sequestro do casal de noivos, enquanto eles estavam no cativeiro, ela e Jonatahan Kennedy Silva de Matos, de 23 anos, um dos presos após a perseguição, fizeram compras em dois comércios do bairro Estrela Dalva com cartões das vítimas. Antes de comprarem bolachas, leite, produtos de limpeza, cerveja e carne, eles compraram apenas um item para testar a senha dos cartões. Foram duas compras de aproximadamente R$ 300 cada.

Ainda segundo a polícia, foi Vera Lúcia quem buscou o casal de noivos no cativeiro e abandonou em um matagal. Os carros roubados pela quadrilha eram levados para o Paraguai e Bolívia. O carro dos jovens sequestrados foi flagrado por câmeras de segurança abastecendo em um posto de combustíveis em avenida de Campo Grande de acesso a rodovias que chegam às fronteiras.