18 de junho de 2021
Campo Grande 27º 15º

Advogado de Francimar quer garantia da polícia que ele será solto após depoimento

A- A+

 

Francimar Câmara Cardoso, acusado de matar o técnico de informática e professor Bruno Soares Santos, de 29 anos, não está na Capital. Segundo o advogado Marcos Ivan, o acusado estar em uma cidade próxima a Campo Grande e considerou precipitada a solicitação feita pela polícia.  A justiça decretou a prisão temporária, a detenção é válida durante 30 dias.

Segundo o advogado, a intenção é que não haja a conversão em prisão preventiva, que vale por tempo indeterminado. Enquanto isso ele tenta negociar com a polícia a apresentação de seu cliente, garante que só deve providenciar a ida do acusado na 1ºDP, onde o caso é investigado, quando obtiver sinal que será solto após o depoimento, para aguardar o desfecho do inquérito em liberdade.  

?

O caso

O acusado de matar, com um tiro de arma longa, o professor de informática Bruno Soares Santos de 29 anos, no local de trabalho, na manhã de hoje, dia 16, na rua Maracajú no centro da capital, está sendo procurado pela polícia e já teve prisão preventiva decretada.

O homem suspeito do crime é Francimar Camara Cardoso de 30 anos e que não tinha passagem pela polícia por nenhum crime. Ele teria utilizado um veículo Gol de cor cinza, placa PUX 8111, e fugido em direção ao município de Nova Alvorada do Sul, região sul do Estado.

A identificação do acusado foi possível por meio de imagens do circuito de câmeras que gravaram toda a ação do criminoso. De acordo com a polícia civil, a motivação do crime seria passional, já que a vítima teria tentado se envolver de forma afetiva com uma ex-funcionária da empresa, e o marido resolveu se vingar praticando o homicídio.