01 de julho de 2022
Campo Grande 30º 19º

PRISÃO | ASSASSINATO

Delegada após prisão de Paulo Cupertino: 'Ele acha que é celebridade'

Ele parecia estar feliz, mas ele é incoerente e quer provar a inocência", disse, em conversa com repórteres.

A- A+

Na manhã desta terça-feira (17), a Delegada da Divisão de Capturas da Polícia Civil de São Paulo, Dra. Ivalda Aleixo, falou das primeiras reações de Paulo Cupertino ao ser preso na noite da última segunda-feira (16), em São Paulo.

"Ele parecia estar feliz, mas ele é incoerente e quer provar a inocência”, disse, em conversa com repórteres.

Questionada sobre uma possível viagem ao exterior, Aleixo negou: “Não houve nenhuma viagem, inclusive, ao Paraguai”. Na conversa, ela ainda confirmou que Paulo Cupertino terá a audiência de custódia nesta terça-feira (17).

Na noite da última segunda-feira (16), assim que a prisão aconteceu, Aleixo conversou com o programa Brasil Urgente, da Band, e revelou a José Luiz Datena que a prisão de Paulo Cupertino era como se “tirasse um peso”.

“É como se tivesse tirando um peso, sabe? Vai fazer três anos, dia e noite, a gente não tinha uma resposta para a família e para a sociedade. Pode ter certeza que a Divisão de Capturas não parou um dia. Ele relaxou, a gente tinha a informação que ele tinha voltado, mas que bom que hoje ele foi preso. Eu tenho muitos outros, mas esse foi questão de honra”, disse.


“Olhar para ele, cara a cara, e saber que vou levar ele para o presídio, é gratificante”, completou, emocionada.

Datena ainda comentou que o criminoso ainda havia dado risada ao ser preso e a delegada completou: “Ele está aqui achando que é uma celebridade”.

Paulo Cupertino ainda deve ser julgado pelos três homicídios, que pode render até 20 anos de prisão por cada um deles. Segundo a delegada, ele ter voltado à região que cometeu o crime “é um absurdo”.