25 de junho de 2021
Campo Grande 30º 19º

Delegado pede prisão temporária de assassino de professor

A- A+

Chegou há poucos minutos na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário), do advogado de Francimar Câmara, Marcos Ivan, responsável pelo assassinato do professor Bruno Soares Santos, 29, morto na manhã de ontem.

Em rápida conversa com os jornalistas, Marcos Ivan disse que conversou com o delegado responsável Miguel Saíd, e o mesmo confirmou que pediu a prisão temporária de Francimar, e por esse motivo, por enquanto, ele não se apresentará à polícia. 

O delegado responsável, Miguel Said, disse que já ouviu algumas testemunhas, entre ela a mulher de Francimar, Rosângela Arévola Estigarrilha, uma amiga e algumas pessoas que trabalhavam com o professor. Ainda, conforme o delegado, há indícios de que Bruno assediava mulheres, porém, não revelou o teor de outros B.Os(Boletins de Ocorrência) contra o professor.

Francimar não tem antecedentes criminais. De acordo com o depoimento de Rosângela, ela teria contado no sábado ao marido que, na época do carnaval desse ano, Bruno a assediou e que ele teria agarrado a mulher em um ponto de ônibus.

O carro utilizado por Francimar, que trabalha com automação bancária, no dia do crime, foi alugado pela empresa. O veículo foi encontrado ontem no bairro Aero Rancho, na Capital.

De acordo com o advogado, o pedido de prisão causa estranheza a Marcos Ivan, já que o seu cliente não possui antecedentes, e que a atitude de Francimar foi devido aos fatos. Além disso, de acordo com o advogado, o assedio acontecia há alguns meses, e se confirmou na noite do dia 23 de fevereiro.

 A suspeita do delegado é que a arma utilizada para matar Bruno foi uma arma de caça, mas somente terá certeza após a conclusão do laudo pericial. 

Possivelmente o homem será indiciado por homicídio doloso qualificado, já que  a vítima e não teve como reagir, e de acordo com o delegado, a prisão pode acontecer nas próximas horas. Miguel Said é responsável pela investigação do assassinato, já a Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) é responsável pelo fato do assédio.

*Matéria editada às 10h08 para acréscimo de informação