21 de abril de 2021
Campo Grande 32º 18º

Policiais civis decidem entregar chaves das celas de todas as delegacias do MS

A- A+

Em decisão inédita em assembleia extraordinária realizada na tarde desta sexta-feira (27), os policiais civis do Mato Grosso do Sul entregarão as chaves das celas de todas as delegacias do Estado. A medida é uma forma de manifestação contra o descaso das autoridades competentes em solucionar o desvio de função sofrido pela categoria e que mantém presos custodiados em delegacias.

 A deliberação foi motivada após a morte do investigador Anderson Garcia da Costa (37 anos) que foi agredido na DP de Pedro Gomes na quarta-feira (25). Anderson estava cuidando de um preso na delegacia, quando foi agredido na cabeça e no abdômen. O policial teve afundamento de crânio, foi encaminhado para o hospital em Coxim, porém, devido a gravidade dos ferimentos, estava sendo encaminhado para a Santa Casa, mas morreu dentro da ambulância.

Segundo o  Sinpol-MS, a categoria está cansada do descaso das autoridades que culminaram em diversos casos de agressão e morte. “Não queremos mais mortes, não queremos que outros pais, filhos e defensores dos direitos da sociedade tombem no exercício da profissão. É chegada a hora de um basta!”, declarou o presidente do Sinpol-MS, Giancarlo Miranda.

A categoria pretende manter a manifestação até a próxima terça-feira (01/12) quando há uma reunião agendada com a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública e Coordenadoria das Varas de Execução Penal do MS. “Esperamos que nesta reunião a Covep e a Sejusp apresente medidas que realmente solucionem o problema, ou no mínimo um planejamento para que essas medidas sejam aplicadas nos próximos seis ou doze meses”, afirmou o vice-presidente do sindicato, Paulo Queiroz. O movimento já teve início espontâneo com a entrega das celas nas delegacias de Chapadão do Sul e Sonora na quinta-feira (26).

A categoria se reunirá novamente na terça-feira (01) às 19h na sede do Sinpol-MS. Neste período, os policiais civis não realizarão qualquer tipo de atendimento aos detentos, como fornecimento de refeições e medicamentos,  liberação para banho de sol, abertura das celas para visitas familiares, assistência religiosa, atendimento jurídico e  recebimento dos detentos condenados que cumprem regime aberto e semiaberto nas delegacias.