19 de abril de 2021
Campo Grande 31º 20º

Falta de reagente no IMOL colaborou para absolvição dos acusados de matar e carbonizar mulher

 

Aconteceu durante todo o dia desta quarta-feira (4) o julgamento dos dois acusados de terem torturado e carbonizado Viviane Rodrigues Matos de 31 anos, o julgamento resultou na absolvição do crime de homicídio.

O julgamento que foi bastante longo, ou seja, fora dos padrões de Campo Grande, teve um resultado que deixou a mãe da vítima desapontada, “eu que acompanhei toda a investigação na época não tinha a menor dúvida, e acreditava na pena máxima, mas agora não me resta mais nada a não ser lamentar. Mas tenho a certeza de que eles não ficarão impunes. Se a Justiça dos homens falhou, certamente a de Deus não falhará”, afirmou Eloísa Rodrigues Ribeiro Santos de 56 anos mãe de Viviane.

Os jurados determinaram que não houve provas suficientes, pois o sangue que foi encontrado no carro de um dos réus não ficou provado que seria da vítima já que o IMOL ( Instituto Médico Legal) não realizou exames de DNA por falta de reagente para o procedimento.

 Fernando Augusto dos Reis Guimarães, 26 anos, e José Carlos da Silva de 28, foram absolvidos pela morte de Viviane, e responsabilizados apenas pela destruição parcial de cadáver.

O juiz Aluízio Pereira dos Santos determinou a expedição do alvará de soltura dos réus, já que a pena desse crime é incompatível com a continuidade da prisão preventiva.

Desse modo, o juiz determinou que seja aguardado então o recurso do Ministério Público da decisão dos jurados e, caso não recorra, será proferida sentença de mérito no crime de destruição parcial do cadáver.