06 de maio de 2021
Campo Grande 25º 16º

ATENTADO A TIROS | CAPITAL

Filha correu na direção de Geraldo ao ver ele sendo fuzilado: "cenário de terror"

Vizinho segurou a adolescente, que estava com amigos na rua do atentado; crime aconteceu na noite desta sexta-feira (16. abril) no Bairro Iracy Coelho 3

A- A+

Um vizinho teve que segurar a filha de Geraldo Ramos Villa, de 36 anos, que viu ontem (16. abril), o momento em que o pai foi emboscado e fuzilado quando guardava o carro na garagem de casa na Rua Senador Virgílio Távora, no Bairro Iracy Coelho III. O vizinho não quis ser identificado, mas ao sair na rua diz ter se deparado com um cenário de terror.

Segundo moradores, a rua é movimentada, as pessoas gostam de ficar na calçada, em frente às casas, conversando, fumando narguilé ou tomando tereré. "Ontem à noite tinha um grupo de adolescentes a 80 metros da casa onde teve o tiroteio. No primeiro momento pareciam rojões, eu estava dentro de casa e meu marido saiu correndo quando começou o barulho. As adolescentes ainda estavam na rua, inclusive a filha dele, ela saiu correndo, gritando, em direção ao pai", disse uma moradora ao site Campo Grande News.  

Conforme a polícia, o grupo de adolescente disse que o HB20 em que os atiradores estavam, ficou aguardando durante bastante tempo até que a vítima saiu de casa para guardar o carro na garagem. Os atiradores, na tocaia, ao notarem que o homem saiu, abriram as 4 portas do HB20 e começaram a atirar. “Parecia cena de filme”, comentou um vizinho.   

A casa de Geraldo é a única da rua que conta com circuito de segurança e câmeras que flagraram o momento do tiroteio, as imagens e o aparelho do circuito foram recolhidos pela perícia da Polícia Civil, que vai analisar e tentar identificar a placa do veículo usado pelos atiradores.

A reportagem do MS Notícias apurou que a vítima, em seu histórico, esteve presa por homicídio em Corumbá. O crime, segundo a Justiça, ocorreu em 2004, Geraldo foi preso em 2007 e pagou 2 anos, até ir à Juri em 2009, quando acabou sendo absolvido.