17 de setembro de 2021
Campo Grande 35º 22º

INTERNACIONAL | COLÔMBIA

Garota de 16 anos sobrevive ao ser raptada e esfaqueada 80 vezes

Amigos e mãe de um dos jovens são suspeitos da tentativa de feminicídio

A- A+

Uma adolescente, de 16 anos, sobreviveu após ser raptada por amigos e mantida em cárcere por 15 horas e neste período ela foi sufocada com um saco plástico e esfaqueada pelo menos 80 vezes em Villa Muvdi, em Soledad, na Colômbia. A mãe da menor teria iniciado as agressões. 

Segundo autoridades locais, a jovem foi levada na última sexta-feira (19) para a casa de um amigo, onde além dos ferimentos de faca, foi torturada, sendo sufocada com um saco plástico sobre o rosto.

O general Diego Rosero, comandante da Polícia Metropolitana de Barranquilla, afirmou que “por engano” um jovem casal da mesma idade da vítima e que também eram seus amigos, a levaram para uma casa no município vizinho. “Lá ela foi dominada por eles e apunhalada com uma arma pontiaguda em várias ocasiões. Mais tarde, a mãe de um deles chega ao local, percebe o que estava acontecendo ali, mas se envolve naquela atividade e também usa uma arma afiada para continuar atacando a garota de 16 anos”, explicou.

De acordo com Diego, durante o ataque “juntam-se outras pessoas, amigos seus que também batem nela e atacam esta adolescente com uma faca”.

A jovem continua lutando pela vida no Hospital Geral de Barranquilla. Até lá ela foi transferida por um táxi que teria sido contratado pelos próprios agressores para se livrar dela quando descobrissem que ela ainda estava viva. O motorista deste veículo também é procurado pelas autoridades.

O diretor regional do Instituto Colombiano de Bem-Estar Familiar, que zela pelos direitos dos menores, Benjamín Collante contou que a entidade já está ciente da situação e que estão sendo adotadas as medidas correspondentes para proteger a garota.

“Assim que tivermos o laudo de alta da instituição onde a menina está internada, procederemos imediatamente para gerar as medidas necessárias para sua proteção e evitar qualquer tipo de risco”, informou o diretor.