24 de junho de 2021
Campo Grande 31º 19º

Em frente a Shopping

Jovem sofre assalto ao descer do ônibus em frente à Praça das Águas

A vítima relata que a região está muito perigosa, principalmente dentro da Praça das Águas, onde menores de idade vendem e usam drogas

A- A+

Sérgio Rodrigo Nobre, de 23 anos, sofreu assalto hoje, por volta das 6:40 hs, ao descer do ônibus, em frente a Praça das Águas, na frente do Shopping Campo Grande. A vítima relata que após sair do serviço, entrou em um ônibus, e desceu na frente da Praça das Araras, quando quatro rapazes, dois com aparência de menores de idade e dois com aproximadamente 20 anos, também desceram do ônibus e um deles perguntou a hora e em seguindo outro deu um soco na nuca e mandou ele descer em direção a praça.

Dentro da praça os bandidos começaram a pedir dinheiro e o celular, sempre em tom de ameaça. Sérgio entregou o celular a carteira, onde havia R$ 22 reais e eles ainda insistiam em pedir mais dinheiro, quando a vítima observou que um deles estava com uma faca e começou a dizer que se não entregasse tudo iria mata-lo. “Eu sei que você tem dinheiro”, disse o bandido.

Os acusados viram que ele não tinha mais dinheiro, pois revirou toda a mochila, jogou a carteira de Sérgio no chão e mandou ele pegar, quando levou um chute e a ordem de seguir sem olhar para trás.

A vítima seguiu em direção ao Shopping e tentou ligar de um orelhão, porém estava estragado. Pediu o celular para as pessoas que estavam no ponto de ônibus emprestado, mas sem sucesso. Em seguida, ao avistar os bandidos voltando da praça, subiu as escadarias do shopping e pediu ajuda aos seguranças, e ligou para a polícia, no 190.

Segundo Sérgio os policiais demoraram muito para chegar, mais de 30 minutos, e se chegassem antes teriam pegado os assaltantes, que demoraram a sair da praça. A polícia fez ronda pelo local, mas não conseguiu localizar os quatro bandidos. Sérgio foi orientado a procurar uma delegacia para registrar o boletim de ocorrência.

A vítima relata que a região está muito perigosa, principalmente dentro da Praça das Águas, onde menores de idade vendem e usam drogas. Não há policiamento no local, nem de guarda municipal ou polícia militar desde a sua inauguração.