20 de abril de 2021
Campo Grande 32º 19º

VIOLÊNCIA | TOLEDO (PR)

Médico paranaense é espancado por familiares ao defender medidas restritivas

"Enquanto um me segurava o outro me agredia", denunciou o infectologista

O médico infectologista José Eduardo Mainart Panini, da cidade de Toledo (PR), denunciou nesta segunda-feira (1.março.21), através do seu Instagram, que foi espancado após defender medidas de restrições recentemente adotadas pelo governo do Paraná para conter o avanço do coronavírus. 

A agressão, segundo Panini, ocorreu na última sexta-feira (26.fev) após uma reunião em que foi discutido o que seria fechado ou não no estado com o novo decreto do governo. “(sic) Na sexta-feira, após horas de reunião pra determinar o que seria ou não fechado, baseado num Decreto do Estado do Paraná. Já deixo claro, que baseado nos números não há mais nada a que fazer, senão as coisas só piorarão. Ao alertar os riscos a pessoas conhecidas, a resposta que me foi dada foram chutes e socos, enquanto um me segurava o outro me agredia”, declarou o profissional de saúde na legenda de uma foto em que aparece com lesões na boca e no olho.

“Enfim, pessoas assim que ajudaram situação chegar onde está! O desânimo não vem! E junto com eles temos muita coisa boa, progresso, vacinas e tudo que vai fazer sairmos dessa pandemia! E aos trabalhadores da saúde muita força!”, completou o infectologista, sem dar detalhes de onde e quem exatamente o agrediu.

Em nota, o Conselho Municipal de Saúde de Toledo repudiou o ataque ao médico. “Salientamos que o Conselho repudia qualquer ato de violência e em se tratando do atual momento da pandemia, a qual servidores atuam incansavelmente para salvar vidas aqui em Toledo, assim como no mundo todo, atos desse tipo apontam total desrespeito com o próximo e só traz prejuízos a todos os que estão na luta para que isto um dia vire apenas história”, diz trecho da nota da entidade.

Confira a íntegra da postagem de Panini sobre a agressão.

Procurada, a Polícia Civil de Toledo se manifestou por meio de nota em que afirma que apesar de o médico não ter registrado o boletim de ocorrência, há registro de ocorrência realizado por outra pessoa informado da agressão física sofrida pelo médico, ocorrência esta registrada no mesmo dia 26/02/2021, constando no histórico do boletim de ocorrência contexto de que o mencionado médico fora vítima de agressão física em razão de um desentendimento familiar, não sendo feita nenhuma referência quanto a ambiente profissional ou público. A Polícia Civil de Toledo segue na apuração do ocorrido.