06 de maro de 2021
Campo Grande 28º 19º

Motorista fica refém de bandidos por quatro horas e tem van roubada

Um motorista de 54 anos caiu em uma emboscada após ser contratado por um suposto cliente. O caso aconteceu no final da tarde desta segunda-feira (1º) em Campo Grande. Ele ficou por mais de quatro horas em poder dos bandidos e teve a van roubada. O veículo da vítima teria sido levado para o Paraguai. 


De acordo como Boletim de Ocorrência, a vítima contou a polícia que por volta das 17h foi contratado por telefone por uma pessoa identificada como Osvaldo Medeiros, que pediu para que a vítima fizesse uma corrida de Van até a cidade de Três Lagoas para buscar 14 pessoas. 


O suposto cliente disse para o motorista, que antes de seguir a viagem era para passar em frente ao Motel Lumiere, para pegar seu sobrinho, Roberto. Ao chegar ao local, havia dois homens esperando a vítima e um deles se identificou como parente do suposto homem que havia contratado o serviço. 

Durante o trajeto foi informado que um deles iria ficar no posto Aparecida. Os demais seguiram viagem ao chegar próximo do posto Platinão, Roberto  sacou uma arma e anunciou o assalto. O assaltante mandou que a vítima fosse para a estrada do aeroporto Santa Maria. Foi quando um terceiro homem chegou de bicicleta e assumiu a direção do veículo.  

O motorista teve suas mãos amarradas e foi colocado atras do banco do passageiro, onde passou a ser vigiada pelo primo de Roberto. Os bandidos foram até a rotatória de Dourados, uma mulher chamada de loira também entrou na Van. 

Durante o trajeto os criminosos fez algumas paradas para alimentos depois retornou a estrada Santa Maria. Ao chegar ao local todos desceram do veículo e a mulher saiu dirigindo a Van. A vítima foi levada até o mato permanecendo cerca de quatro horas em poder da quadrilha. 

Ainda conforme o boletim, o motorista só foi liberado depois que um dos assaltantes recebeu uma ligação da loira dizendo que o veículo já estava no Paraguai. Os ladrões fugiram a pé e ainda pediram para a vítima esperar um pouco e depois sair do mato. 

O caso foi registrado como roubo majorado pela restrição de liberdade da vítima e roubo majorado pelo emprego de arma na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) do Centro. Até o momento os bandidos não foram localizados pela polícia.