13 de junho de 2021
Campo Grande 25º 11º

MS possui 968 agentes penitenciários para mais de 13 mil presos

A- A+

Com a morte do agente penitenciário, Carlos Augusto Queiroz de Mendonça, 44 anos, na manhã de ontem, dentro do Estabelecimento Penal Aberto e Casa do Albergado na Vila Sobrinho em Campo Grande, veio à tona um problema que é reivindicado há anos pela categoria que representa os agentes, o Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária de Mato Grosso do Sul, que é o baixo efetivo que desenvolve nos trabalhos nos presídios não somente de Capital como também no interior.

“O agente morto hoje (ontem) era de boa conduta. Não tínhamos a informação de que ele estaria recebendo ameaças. É uma grande perda e nós vamos dar o apoio necessário a família que com certeza está sofrendo”, disse André Luiz Garcia Santiago, presidente da categoria dos agentes.

Santiago revelou que no momento do assassinato do agente Carlos Augusto, havia ele e mais um agente no local para 404 internos. Ele conta que no Estado, são 968 servidores para tomar conta de 13.477 presidiários. “É uma situação caótica e que precisa mudar. Hoje nós estamos de luto.”

Em 2011, de acordo com o presidente do sindicato, outro servidor foi assassinado da mesma forma no mesmo estabelecimento prisional.