27 de setembro de 2021
Campo Grande 33º 22º

POLÍCIA

Mulher assassinada pelo marido cavou a própria cova, diz irmã

A- A+

Parentes de Cristiane Arena, de 34 anos, afirmaram que o homem suspeito de matar a esposa e a enteada, Karoline Vitória, de 9 anos, fez as vítimas cavarem as próprias covas. Mãe e filha estavam desaparecidas desde novembro do ano passado. As informações são do Cidade Alerta, da Record TV.

Os corpos das duas foram encontrados enterrados no quintal da casa da família, em Pompeia, no interior de São Paulo. De acordo com o atestado de óbito das vítimas, a mãe foi morta com golpes de faca e a filha, com uma pancada na cabeça.

Ainda conforme a polícia, o envolvimento de uma adolescente de 16 anos, filha mais velha de Cristiane, também é investigado. As autoridades apuram ainda se a jovem teria sofrido abuso sexual do padrasto.

Em entrevista à Record TV, a irmã da vítima afirmou que Fabrício Buim Arena Belinato, de 36 anos, e Cristiane casaram-se três meses após se conhecerem. Após o casamento, o casal teria se afastado da família da vítima. Segundo a irmã da vítima, há cinco anos, o pai de Cristiane já havia contado que tinha visto o padrasto beijando uma das netas, mas ela não acreditou.

Um dia antes da mulher desaparecer, a irmã diz que vizinhos viram Cristiane trabalhando para retirar terra do quintal. “A minha irmã cavou a própria sepultura. À meia-noite, a minha irmã cavou a sepultura dela, arrancou toda a terra, jogou tudo lá pra frente. Bateu massa, concreto, nesse dia. No outro dia, a minha irmã não bateu massa. Quem bateu massa pra ajudar a preencher o buraco foi a filha.”

Investigação

De acordo com o delegado Cláudio Anunciato Filho, a Polícia Civil foi até a casa da família após receber denúncia de cárcere privado. A informação era de que a adolescente teria sofrido abuso por parte do padrasto. Os dois foram levados para a delegacia e depois liberados.

“A garota disse que a mãe foi embora com a filha menor após conhecer um novo namorado. Os depoimentos eram contraditórios e fomos investigar”, explicou o delegado.

As investigações apontam ainda que o suspeito estava movimentando a conta da mulher, que havia sido demitida recentemente e recebido um valor de rescisão. Segundo a Polícia Civil, a adolescente foi apreendida e levada à Fundação Casa de Araçatuba. Já o suspeito não foi mais localizado depois que os corpos foram encontrados.

A Polícia Civil investiga ainda se o suspeito de matar a esposa e enteada, também teria cometido o crime de estupro de vulnerável contra a enteada, de 16 anos.

“Está sendo apurado no inquérito policial duplo homicídio doloso, ocultação de cadáver e estupro de vulnerável. A adolescente é vítima e suspeita. Ela é vítima de estupro e suspeita de participação no duplo homicídio doloso”, explicou o delegado Cláudio Anunciato Filho ao G1.

Ainda conforme a polícia, a adolescente negou a participação no crime. “Ela não fala, mas com certeza há indícios de que, inclusive depois da morte da mãe e da irmã, ela continuou dormindo com o cara na casa. No final de novembro, mataram as duas e ela continuou morando com ele”, afirma.