16 de abril de 2021
Campo Grande 32º 20º

Lava Jato

Nova fase da operação investiga condomínio de luxo onde Lula teria triplex

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira (27) 22ª fase da operação Lava Jato, batizada de Triple  X. Foram expedidos três mandados de prisão, cumpridos no estado de São Paulo, e também foram cumpridos mandados de busca e apreensão de documentos.

Segundo procurador da Força Tarefa da Lava Jato, Carlos Fernando dos Santos Lima, uma das empresas investigadas, pelo suposta prática de crime de lavagem de dinheiro, a Mossak Fonseca é do Panamá. A suspeita é que empresa, que tem representação em diversos países, entre eles o Brasil, tenha aberto diversas off-shores no exterior em nome de investigados na Lava Jato para enviar remessas de dinheiro desviado da Petrobras. 

Outro ponto da investigação é quanto a atuação de empreiteiras e investigados na Lava Jato que estariam "maquiando" desvio de dinheiro público por meio de empreendimentos imobiliários. A Polícia Federal esteve no condomínio Solaris, no Guarujá onde o ex-presidente Lula teria um triplex e parentes do ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto teriam imóveis. 

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão de documentos na empreiteira OAS e no Bancop, cooperativa bancária de São Paulo. Segundo procurador, as duas instituições são investigadas por participar do esquema de lavagem dinheiro através de empreendimentos imobiliários.