21 de abril de 2021
Campo Grande 32º 18º

“Operação Ararathh”, PF desarticula esquema de desvio de dinheiro público

A- A+

A Polícia Federal deflagrou hoje (4) a décima fase da Operação Ararath com o objetivo de apurar o desvio de cerca de R$ 313 milhões em recursos públicos do Governo do Estado de Mato Grosso através da utilização de sistema financeiro clandestino.

Foram realizadas 47 medidas de busca e apreensão e 18 conduções coercitivas nas cidades de Cuiabá (MT), Brasília (DF), Luziânia (GO), São Paulo (SP), Caraguatatuba (SP), Curitiba (PR) e Itapema (SC).

As investigações visam apurar pagamentos ilegais por parte do Governo do Estado a empreiteiras e o posterior desvio desses recursos em favor de agentes públicos e empresários mediante a utilização de instituição financeira clandestina. Também foi expedida ordem de sequestro de bens e valores de mais de R$ 313 milhões, com a finalidade de reparar os prejuízos causados aos cofres públicos.

A análise de documentos apreendidos, apontaram a utilização de medidas de engenharia financeira praticadas pelos investigados com o objetivo de ocultar a real destinação dada a valores de precatórios pagos pelo Estado de Mato Grosso em nítida violação à ordem cronológica e determinações legais.

Os investigados nesta fase responderão pela prática dos crimes de corrupção ativa e passiva, crimes contra o sistema financeiro nacional e lavagem de dinheiro, dentre outros que porventura venham a se confirmar.

Na tarde de desta sexta-feira (4), vai acontecer uma entrevista coletiva às 14h30 na Superintendência Regional da Polícia Federal em Cuiabá Mato Grosso (MT).

Operação Ararath 

É o nome de um monte na Turquia onde, segundo a bíblia, foi encontrada após o dilúvio a Arca de Noé (nome dado à outra operação da PF no estado contra o então bicheiro João Arcanjo, que também foi acusado de fazer movimentações ilegais utilizando factorings).