23 de janeiro de 2021
Campo Grande 30º 21º

Padrasto é preso depois de agredir enteado com martelo batedor de carne

Um taxista de 39 anos foi preso nesta quarta-feira (9), depois de agredir o enteado com uma corrente. Ele confessou a agressão e a Depca (Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente) irá investigar se ele também utilizou um martelo de bater carne para agredir o garoto.

140499293953be7dad400c61.48326562

De acordo com o delegado Paulo Sérgio Lauretto, responsável pelo caso, a agressão aconteceu durante a madrugada desta quarta-feira (9). O padrasto relatou que saí todos os dias de casa às 2 horas, para buscar a mulher no trabalho, em uma empresa de reciclagem. Ele teria falado para o adolescente cuidar do irmão bebê, que estava chorando, porém o adolescente não quis e os dois começaram a discutir.

O suspeito teria ido até a cozinha e disse que se ‘descontrolou’. Ele jogou uma corrente no garoto, que estava levantando do local onde dormia. O padrasto nega que tenha agredido o menino com o martelo, mas o que o adolescente relatou aos conselheiros tutelares que o padrasto também teria atirado o martelo de bater bife nele.

Após a agressão, o menino fugiu de casa de casa e foi até a residência de um vizinho, pai de um colega dele. O homem levou o garoto para a UBS (Unidade Básica de Saúde) do Bairro Nova Bahia e os profissionais de saúde acionaram o conselho tutelar.

Quando a mãe chegou em casa, procurou pelo filho e o marido disse que não sabia onde o enteado estaria. Ela chamou pelo nome do filho no meio da rua e o vizinho contou o que tinha acontecido. O menino teve lesões na cabeça e continua internado na Santa Casa de Campo Grande e, a princípio, não corre risco de morte. “Poderia ter causado a morte, sem tivesse atingido uma parte mais sensível da cabeça”, diz Lauretto.

Prisão

A Polícia Civil foi acionada pelo Conselho Tutelar durante a manhã e foi até a casa do homem. Conforme o delegado, a princípio ele negou a agressão, mas depois confessou ter agredido o menino.

Foram apreendidas duas correntes, um martelo de bater prego e um martelo de bater carne. O adolescente será submetido ao exame de corpo de delito, que irá verificar qual ferramenta foi utilizada na agressão. O caso foi registrado como tentativa de homicídio.

Agressões

Esta foi a segunda vez que o padrasto foi denunciado por agredir o enteado. Em 2012, um caso de agressão já havia chegado ao conhecimento da polícia e a guarda do menino foi para o pai. Na época a mãe e filho disseram que o homem era violento e já teriam sido agredidos.

O fato virou um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência) e foi encaminhado à Justiça. Nesta quarta, a mãe foi ouvida e contou que foi agredida pelo marido, quando estava grávida de oito meses do filho mais novo. Ela disse à polícia, que não se separou, pois o marido a ameaçava. “Ele dizia que se fosse preso, sairia da prisão e acertaria as contas com ela”, finaliza o delegado.

Itaporã News