10 de abril de 2021
Campo Grande 35º 20º

TRÁFICO INTERMUNICIPAL

PM apreende 6 kg de skunk com 'menor de idade' e outros 10 kg de maconha

Drogas foram apreendidas em ônibus e van, respectivamente, e maior carga seria para abrir "boca de fumo" na Capital

Dois casos de tráfico intermunicipal foram registrados no intervalo entre a noite de 5ª feira (11.mar.2021) e a manhã desta 6ªfeira (12.mar.2021). Ontem à noite uma Equipe da Força Tática da Polícia Militar do 4º BPM apreendeu 6 kg de Skunk (a super maconha) e mais 10kg, divididos em vários volumes, na manhã de hoje.

De acordo com informações da PM, o primeiro caso foi registrado por volta de 23h30, durante patrulhamento ostensivo preventivo na região norte da cidade. Uma jovem de 17 anos sem documentos de identificação, moradora da cidade de Primavera do Leste/MT foi abordada em um ônibus na rodovia MS 164, próximo ao Centro de Tradições Gaúchas “Querência da Saudade”.

Em entrevista realizada durante abordagem, a menor de idade contou que receberia cerca de mil reais para levar a droga de Ponta Porã - onde recebeu a mochila com 6 kg da droga de um desconhecido na rodoviária - até a cidade de Dourados. Ela foi apreendida e encaminhada, juntamente com o skunk, até o 1º Distrito Policial para as providências cabíveis.

Através da assessoria, a Polícia Militar destaca que, no cenário do tráfico intermunicipal, as modalidades encontradas são as mais diversas. "Depende muito, porque o pessoal é muito criativo. Principalmente no intermunicipal usam muito ônibus e carro, mas também o que for possível e estiver ao alcance. As maiores quantidades apreendidas costumam ser encontradas em ônibus e carro. Mas usam motos, bicicletas, até travessias à pé".

Outro caso aconteceu na manhã desta 6ª feira, quando uma equipe da Polícia Militar abordou uma van, que transportava passageiros de Ponta Porã até Campo Grande. Cerca de 10kg de maconha foram apreendidas com uma jovem de 20 anos, que viria para a Capital para ser "empresária" e abrir uma "boca de fumo".

Divididas em vários volumes, ela informou aos policiais que, no centro de Ponta Porã, pagou R$ 3.500,00 (três mil e quinhentos reais) pela droga. A ideia era vir até Campo Grande e realizar a venda do "produto" no varejo. Ela contou ainda que, na Capital, conseguiria vender o quilo por até R$ 1.200,00, o que renderia cerca de R$ 12 mil.

A Polícia Militar declarou ao MS Notícias que, "o consumo é o que movimenta o esquema do tráfico". "Mato Grosso do Sul não é um Estado que registra um dos maiores consumos de droga no país, isso fica lá para a região Sul e Sudeste. Mas aqui em MS acaba sendo rota. Como São Paulo, por exemplo, não tem fronteira, lá são adotadas outras medidas, porque é preciso política pública para evitar o consumo e também que essa droga chegue no local", afirmou através da assessoria.

Foi dado voz de prisão a autora, que foi encaminhada juntamente com a droga até o 1º Distrito Policial para as providências, enquanto o veículo foi liberado para seguir viagem com os demais passageiros.