16 de abril de 2021
Campo Grande 32º 20º

EXPLORAÇÃO ILEGAL

PMA da Capital autua três infratores em R$ 18,6 mil e apreende motosserras

Morador do local onde árvores, principalmente da espécie angico, foi autuado em R$16 mil e campo-grandenses em mil e R$1.600

Policiais Militares Ambientais da Capital  localizaram uma área de exploração ilegal de madeira, ontem (07.abr.2021), no Assentamento Jatobá, que fica localizado na a 5 km da cidade de Jaraguari. A ação aconteceu durante fiscalização ambiental em propriedades rurais do município, enquanto os oficiais trabalhavam também as orientações sobre incêndios, fornecendo informações, pela operação Prolepse, de prevenção e combate aos incêndios, que acontece com distribuição de "folders" e orientando os moradores rurais sobre os problemas dos incêndios

Segundo informações do Setor de Comunicação da PMA, a equipe supreendeu ainda três homens durante derrubada e coleta de material de extração ilegal, enquanto os infratores carregavam um caminhão após realizarem a queda das árvores com motosserras.

Motosserras apreendidas com moradores de Campo Grande

No local haviam 50 árvores de grande porte, de algumas espécies, derrubadas recentemente, com predominância da madeira do angico, sem autorização ambiental. Também foram encontradas quatro motosserras que eram utilizadas no beneficiamento da madeira e foram levadas ao pátio do quartel da PMA em Campo Grande. Com os equipamentos também foram apreendidos e recolhidos 30 palanques e 20 vigas, medindo 3,5 m³ e mais 17 palanques e 17 vigas, medindo 2 m³.

De acordo com a Polícia Militar Ambiental, mãe de um dos infratores era dona do lote onde a madeira era extraída, explorada na mata, no local de derrubada. A ideia seria realizar o comércio do material. O infrator que morava no local, de 51 anos, foi autuado administrativamente e multado em R$ 16 mil.

Enquanto os outros dois - moradores de Campo Grande - que ajudavam na exploração ilegal da madeira e eram proprietários das motosserras, um de 63, foi autuado administrativamente e foi multado em R$ 1.600 e o outro, de 47 anos, foi autuado administrativamente e foi multado em R$ mil reais.

Os três responderão pelo crime ambiental de exploração ilegal de madeira, com pena prevista de seis meses a um ano de detenção, pela Lei de Crimes Ambientais (Lei Federal n° 9.605/12/2/1998).