08 de maio de 2021
Campo Grande 26º 13º

Polícia

Projeto Protetivas On-line conquista o primeiro lugar no Ideathon

A- A+

O resultado do Ideathon, competição idealizada pelo Laboratório de Inovação e Inteligência da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB Lab), foi divulgado na noite desta quinta-feira (8) e as juízas Helena Alice Machado Coelho e Jacqueline Machado conquistaram o primeiro lugar com o projeto Protetivas On-line.
 
A competição de iniciativas inéditas, abrangendo todo o país, objetivou desenvolver sistemas e produtos para a justiça brasileira, permitindo auxiliar o acesso ao Judiciário para mulheres vítimas de violência e mais uma vez as magistradas sul-mato-grossenses mostraram que realizam um trabalho de vanguarda.
 
Ao falar sobre o prêmio, a juíza Helena Alice, que responde pela Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar, fez um agradecimento especial para o diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação do Tribunal de Justiça de MS, Altair Junior Ancelmo Soares, e à equipe de TI pelo apoio tecnológico que permitiu a criação do Protetivas On-line.
 
"Eles foram parceiros essenciais. É muito gratificante ver um trabalho pioneiro ser reconhecido nacionalmente e saber que nossa iniciativa pode auxiliar mulheres vítimas em todos os cantos de Brasil, já que a proposta pode ser copiada pela justiça de outros estados. Feliz demais", afirmou a coordenadora.
 
A juíza Jacqueline Machado, da 3ª Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Campo Grande, também lembrou da equipe de TI e garantiu que é sempre uma alegria ter um projeto reconhecido e valorizado.
 
"Ainda mais quando esse projeto surge num momento tão difícil, no meio de uma pandemia, em que muitas mulheres estavam tendo dificuldades para acessar o sistema de justiça. Saber que ele pode ser replicado em cada canto deste país é uma satisfação. Este é um projeto que salva vidas e esse é o nosso grande prêmio", afirmou.
 
Não se pode deixar de mencionar que as magistradas receberam auxílio da assistente social judiciária Vanessa Vieira e da analista judiciária Anne Klean Mendes, ambas colaboradoras da Coordenadoria da Mulher, além da equipe da Secretaria de Comunicação do TJMS.
 
O tema escolhido pelas juízas foi "a efetivação das medidas protetivas de urgência da Lei Maria da Penha e uma prestação jurisdicional célere". Importante destacar que o Protetivas On-line foi criado justamente para mulheres/vítimas que não conseguem dirigir-se até o atendimento na Casa da Mulher Brasileira, em busca de medida protetiva. Assim, surgiu a ideia de disponibilizar o serviço pela internet.
 
Novo serviço do portal do TJMS, o Protetivas On-line é um canal gratuito de atendimento que pretende ser um recurso rápido e de fácil acesso às mulheres que estão sofrendo algum tipo de violência dentro de casa no período de pandemia, no qual o distanciamento social tem diminuído, muitas vezes, as possibilidades de buscarem ajuda.

Fonte: TJ MS