04 de maro de 2021
Campo Grande 32º 22º

Délia Razuk

Supera preconceitos, enfrenta os figurões e lidera corrida sucessória

Uma mulher, de acordo com o Instituto de Pesquisas Ipems, lidera as intenções de voto para substituir Murilo Zauith (PSB) na Prefeitura de Dourados. É a vereadora Délia Razuk, que sem o necessário suporte político-partidário para defender o projeto de candidatar-se teve que deixar o PMDB e assinou a ficha do PR. Ao contrário de um de seus eventuais concorrentes – o deputado Geraldo Resende, que trocou o PMDB pelo PSDB e vem caindo na preferência do eleitorado -, Délia manteve alta sua cotação e os números do Ipems confirmam a consistência política de seu nome.

Mudar de partido para ter sua candidatura respirando foi uma das inúmeras intervenções que exigiram de Délia complexas e desafiadoras decisões ao longo de sua trajetória na vida publica. Só o fato de representar um gênero tradicionalmente alvo de preconceito e discriminações, Délia é uma mulher que faz da política não-somente um cenário de afirmação feminina, mas um processo de construção de novas possibilidades para o Município.

Foi com essa desenvoltura que ela se reelegeu vereadora, conquistou a presidência da Câmara Municipal e mesmo sem ganhar uma cadeira na Assembleia Legislativa, tornou-se primeira suplente com votação maiúscula no maior e mais concorrido colégio eleitoral do Estado, a microrregião da Grande Dourados, que abriga mais de 30 municípios. Nos últimos dez anos, Délia e seu mandato atravessaram, incólumes, as mais pesadas e desqualificadoras crises éticas, políticas e gerenciais de Dourados.

Agora vem a Pesquisa Ipems – registrada na Justiça Eleitoral, com 300 entrevistas realizadas dias 9 e 10 deste mês - e os números sinalizam a força da pré-candidata que desbanca favoritismos. Délia tem a menor rejeição entre os principais possíveis concorrentes. Na disputa pulverizada entre os nomes que já se apresentam para a sucessão, ela lidera com margem segura. Mas se o confronto for polarizado entre duas candidaturas, ela lidera em qualquer simulação.

De acordo com o Ipems, a candidata do PR venceria hoje aqueles que seriam seus mais duros rivais. Com 44,48% das intenções de voto, ela deixa para trás Geraldo Resende (32,11%), Renato câmara (3,52%) e Wanderlei Carneiro (1,94%). Ganharia também com folga em disputas polarizadas contra Resende (46,28% contra 35,43%), Renato Câmara (62,05% a 8,34%) e Wanderlei Carneiro (64,85% a 3,28%).

Em princípio, Délia Razuk conta basicamente com o próprio patrimônio político e eleitoral que conquistou com seu trabalho de vereadora e militante partidária. Não tem na sua pré-candidatura o impulso da maioria das lideranças que operam na região, entre elas o prefeito Murilo Zauith (PSB), o ex-governador André Puccinelli (PMDB) e o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), isto sem incluir os deputados estaduais Zé Teixeira (DEM), João Grandão (PT) e José Carlos Barbosinha (PSB). 

Outros dois deputados estão hoje entre seus presumíveis concorrentes, Geraldo Resende e Renato Câmara. Por enquanto, ressalvando o exagero e de acordo com o Ipems, Délia Razuk pode ser considerada a pré-candidata que lidera a sucessão douradense praticamente contra tudo e contra todos os que controlam – ou pensam controlar – o destino político-administrativo e eleitoral do Município.