20 de junho de 2021
Campo Grande 25º 13º

ACIDENTE | NOVOS VÍDEOS

Vídeo: Rafael 'arranca' e fura sinal ao entrar em curva onde matou namorada

Namorados brincavam de andar 'dependurados' sobre o capô do carro; menina de 19 anos acabou morrendo durante a brincadeira no dia 15 de maio em Campo Grande 

A- A+

Novas imagens de câmeras de segurança de estabelecimentos mostram o momento em que o motorista Rafael Souza, de 19 anos, ‘arrancou’ com o Toyota Etios, furou o sinal ao cruzar a Avenida Afonso Pena, e entrou na curva Avenida Arquiteto Rubens Gil de Camillo, com a namorada, Mariana Vitória Vieira, de 19 anos, sobre o capô.

As imagens são de 15 de maio [dia do acidente] às 4h54. Ao fazer a curva Rafael perdeu o controle da direção, bateu no meio-fio, atingiu uma árvore e parou ao atingir um poste. Mariana caiu embaixo da árvore e morreu no local. O vídeo mostra o rapaz saindo do carro após as sequências de batidas e correndo na direção da árvore.  

O motorista que foi preso em flagrante no sábado, foi levado à prisão domiciliar nesta segunda-feira após passar por audiência de custódia.

A defesa alega que os namorados faziam uma brincadeira: ‘pendurar-se sobre o capô. Imagens divulgadas pela polícia confirmam que eles revezaram, pois em um dos vídeos, Rafael é quem está pendurado sobre o capô enquanto a namorada dirige, ela, porém, está em baixa velocidade.

O casal estava sob efeito de álcool que haviam ingerido numa festa horas antes na tarde do dia do acidente.  

A polícia acusa Rafael de feminicídio, crime pelo qual foi preso em flagrante e por dirigir embriagado. A defesa tenta reverter a acusação de feminicídio, a delegada Joilce Silveira Ramos, da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), disse à reportagem, porém, que ainda que se tratasse de uma 'brincadeira' entre o casal o rapaz responderia pelo crime de feminicídio doloso (quando se assume o risco de matar).  

Até ontem, segundo a polícia, haviam dois depoimentos diferentes dados pelo suspeito. O advogado de defesa Marlon Ricardo, rebateu essa informação nessa segunda-feira ao representar o jovem na audiência de custódia. “Apesar de ter sido imensamente noticiado na mídia que a vítima teria tentado impedir Rafael de dirigir pois ele estava sob o efeito de álcool e, para tanto, teria se segurado no capô do veículo, ninguém sabe de onde saiu essa versão, nem mesmo, a autoridade policial”, destacou o advogado. Apesar disso, a versão noticiada, segundo a polícia, foi dada pelo autor no local do acidente ainda na madrugada de sexta-feira para sábado.