12 de junho de 2021
Campo Grande 25º 14º

Cia. Dançar apresenta "Ficar: amor até segundo aviso" e “Flor de Guavira” no CenaSom

A- A+

A Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul realiza hoje, mais uma edição do projeto CenaSom com os espetáculos "Ficar: amor até segundo aviso" e “Flor de Guavira”, ambos da Cia. Dançar. As apresentações começam às 20h no Teatro Aracy Balabanian do Centro Cultural José Octávio Guizzo. A classificação é livre e a duração aproximada de 40 minutos.

Na misteriosa fragilidade dos vínculos humanos, os desejos conflitantes da juventude impulsionaram jovens intérpretes/criadores e seu diretor coreógrafo na concepção de um espetáculo de dança contemporânea que interpreta em movimentos o efêmero, passageiro e fugaz dos relacionamentos.

O “ficar” do latim significa estacionar em um lugar, não sair dele. Em contrapartida o termo caiu no uso da sociedade pós-moderna com outro sentido e ainda persiste representando uma forma de se relacionar bastante popular, breve e descompromissada.

Embalados pela pesquisa a Cia. Dançar embarcou na tentativa de deixar de lado a solidez do corpo para dar lugar à formulação de novos códigos de movimento. O espetáculo pretende expressar o crescente processo de individualização em que os vínculos são superficiais, flexíveis e maleáveis, permitindo na construção da obra encaixar o corpo fluido e fugaz.

"Ficar: amor até segundo aviso" investiga o que é ficar, amar, interagir nos tempos antigos e nos dias de hoje, em que a interação com o outro e com o mundo não se dá mais só por meio de relações, mas também por meio de conexões.

Buscando influências para a fruição e harmonia dos movimentos, o espetáculo utiliza conceitos do livro “Amor Líquido”, de Zygmunt Bauman. Nele o autor analisa e expõe relações e particularidades da “modernidade liquida”, onde nada é feito para durar, inclusive os relacionamentos.

O espetáculo foi contemplado com recursos do Fundo de Investimentos Culturais da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul. A Cia. Dançar é um grupo formado principalmente por ex-bailarinos do Projeto Dançar e atualmente possui dez integrantes sob a direção de Chico Neller, coreógrafo com 27 anos dedicados à cena sul-mato-grossense da dança.

Já o espetáculo “Flor de Guavira”, contemplado pelo Prêmio Célio Adolfo de Incentivo à Dança 2014 na categoria novos criadores, propõe a criação de uma obra que reflita as experiências do grupo, transformando a vida e a música de Helena Meirelles, um dos ícones da cultura sul-mato-grossense, em elementos para a concepção de um espetáculo.

O intuito é facilitar o acesso do público, em especial dos jovens de escolas públicas, ao que é produzido na cena da dança de Mato Grosso do Sul, além de apresentar a memória do Estado às novas gerações que pouco ou nada conhecem sobre a nossa plural cultura.

 Serviço 

Os ingressos podem ser adquiridos hoje, a partir das 19 horas e têm o valor de R$ 15 (inteira) e 7,50 (meia). A meia-entrada é valida para estudantes, professores, doadores de sangue e idosos (acima de 60 anos), com a apresentação de seu respectivo comprovante.

Karla Machado com Notícias MS