22 de setembro de 2021
Campo Grande 35º 23º

Variedades

Datena critica Moro por conta do caso Lula: "Estou de saco cheio"

A- A+
source
José Luiz Datena
Reprodução/Band
José Luiz Datena

José Luiz Datena  teceu críticas ao ex-juiz Sergio Moro, na terça-feira (23), durante o "Brasil Urgente". O apresentador da Band ficou irritado, pois, por conta da suposta conduta do magistrado, outros presos da Lava Jato podem pedir anulação de seus respectivos casos. 

"Essa decisão do Supremo zera todos os casos, não só o do Lula não. O Moro foi considerado suspeito em todos os casos, tudo volta à estaca zero do que foi investigado até agora. Você não pode chamar nenhum desses caras (que estão presos) de bandido porque o Supremo decidiu que o Moro é suspeito no caso do Lula, daqui a pouco todos esses caras vão reivindicar jurisprudência formada", iniciou Datena .

"Aí vem Eduardo Cunha, aí vem um tanto de gente... O Lula mais do que nunca pode ser candidato e os outros vão reivindicar, mesmo tendo roubado ou não. Quando eles foram julgados, é possível que a gente tenha morrido. Eu vou pra minha casa também. Não adianta nada você ficar gritando aqui na televisão, melhor ir pra casa", continuou o apresentador .

"Eu estou de saco cheio de ficar falando aqui e, de repente, não adianta nada os caras roubaram milhões do Brasil. Empresários corruptos, políticos corruptos e todos eles vão pagar de bonzinhos até investigarem tudo, já esqueceram. O Brasil foi saqueado, não tem dinheiro pra dar auxílio emergencial, mas pra roubar tem, né?!", questionou.

"Com todo direito de discordar e com todo respeito que eu tenho pelo Supremo, eu discordo completamente dessa decisão. O crime compensa no Brasil", encerrou o apresentador

Entenda a revolta de Datena

Na terça-feira (23), o STF classificou a postura de Moro como "parcial" diante do julgamento de Luís Inácio Lula da Silva (PT) na Lava Jato. Com isso, o ex-juiz pode ter sua conduta contestada em todos os casos da operação. Provando-se a parcialidade de Moro, políticos detidos poderão voltar à sociedade.

Fonte: IG GENTE