24 de junho de 2021
Campo Grande 31º 19º

Diogo Nogueira vira ator em musical em homenagem aos cem anos de samba

A- A+

O SamBra pede passagem. Com Diogo Nogueira, que faz sua estreia como ator de musicais, o espetáculo SamBra faz uma homenagem aos cem anos de história do samba.

Escrita e dirigida por Gustavo Gasparani, a montagem será vista pelo público do Rio de Janeiro entre nos dias 19 e 22 de março, no Vivo Rio. Em São Paulo, SamBra ocupará o palco do Espaço das Américas entre 26 e 29 de março. Com 2h30min de duração, o espetáculo tem  70 músicas cantadas e 25 outras que ligam as canções por meio de texto.

Entre os bambas lembrados estão: Pixinguinha, Silas de Oliveira, Mano Décio da Viola, Donga, João da Baiana, Sinhô, Ismael, Tia Ciata, Francisco Alves, Carmen Miranda, Grande Otelo, Cartola e muitos outros.SamBra é um projeto multiplataforma da Musickeria CORP e Aventura Entretenimento, com patrocínio do Bradesco, que prevê outras ações como o lançamento de um livro, um ambiente web, uma web rádio e um ciclo de encontros.

Além de Diogo, o espetáculo tem Izabella Bicalho, protagonista de musicais como Gota D´Água e Era nos Tempos do Rei e novelas como Roque Santeiro e Ti Ti Ti; a atriz, autora e produtora Ana Velloso, de Clara Nunes – Brasil Mestiço, O Bem do Mar e A Aurora da Minha Vida; Beatriz Rabello, estrela de Divina Elizeth e filha de Paulinho da Viola; Lilian Valeska, uma das protagonistas do seriado Sexo e as Negas, entre outros.Nós conversamos com o filho do mítico João Nogueira, que falou sobre musicais, samba e o frio na barriga de estrear como ator.

Que aspectos do samba se mantêm mais atuais na sua opinião?

Diogo Nogueira  - O samba está sempre atual. Ele é o cronista do dia a dia, é o retrato do nosso povo, da nossa vida. E muitos sambas são eternos, atemporais. Ouça as músicas do Cartola, do Martinho, poderiam ter sido feitas ontem.

É sua estreia como ator? De que maneira a experiência de palco o está ajudando e o que acha que irá levar para seus shows após essa passagem pelo teatro?

No início deu aquele frio na barriga, mas fui tão bem recebido pelo elenco, e pelo Gustavo Gasparani, que é o diretor, que logo me senti em casa e tem sido maravilhoso ensaiar e construir o espetáculo com eles. Sempre tive dança, cenários, figurinos e até mesmo texto nos meus shows e DVDs, mas com certeza essa experiência que estou vivendo será um divisor de águas na minha carreira. Estou aprendendo muito com todo o processo de ensaios, convivência com atores experientes, e a direção do Gustavo tem sido muito importante. O Sambra está incrível.

Teve que assistir a musicais? Tomou outros espetáculos como base?

Minha vida é uma correria sem fim, mas sempre que posso vou nos shows e musicais. O último musical que fui, foi “Elis, a musical” e gostei muito. Mas estou seguindo muito a minha intuição e o aprendizado que venho tendo nos ensaios do Sambra.

O espetáculo tem 70 músicas cantadas e 25 outras que ligam as canções em formato de texto, está sendo um exercício para a memória ou já conhecia a maior parte das músicas?

A maioria das músicas são sucessos e estão no inconsciente de todos, do elenco e do público, mas tive que decorar algumas letras de música, que são interpretadas como texto teatral. Mas o repertório é uma delícia, e todo mundo vai cantar junto com a gente.

Qual é o maior mérito do espetáculo SamBra, na sua opinião?

Poder contar e cantar a história do samba em um espetáculo desse tamanho, com essa estrutura, com todo o cuidado e carinho que estamos fazendo, é algo muito especial e me faz sentir orgulho de estar participando desse momento. O Sambra é um espetáculo que enobrece o samba, os sambistas e todos os amantes do gênero

Se esse espetáculo fosse feito daqui a 100 anos, acha que outros nomes novos entrariam? Em quem apostaria?

O Brasil é um país de grandes artistas, grandes compositores, e uma das melhores músicas do mundo. Não tenho a menor dúvida que daqui há 100 anos, teremos muitos nomes que ajudarão o samba a se manter forte, consistente, com qualidade, e espero que eu possa ter dado a minha contribuição com o trabalho que venho fazendo. E que tenham sempre grandes empresas como o Bradesco, que valorizem a cultura nacional e apoiem o nosso samba. Viva o Samba! Viva o Sambra!

SERVIÇO

Rio de Janeiro

Data: 19 de março, quinta-feira
Local: Vivo Rio (Avenida Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo)
Horario: 21h30
Classificação: 16 anos
Data: 20 de março, sexta-feira
Local: Vivo Rio (Avenida Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo)
Horario: 21h30
Classificação: 16 anos
Data: 21 de março, sábado
Local: Vivo Rio (Avenida Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo)
Horario: 21h30
Classificação: 16 anos
Data: 22 de março, domingo
Local: Vivo Rio (Avenida Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo)
Horario: 20h00
Classificação: 16 anos
Ingressos: Ingresso Rápido
Frisa – R$ 120,00
Setor 01 – R$ 150,00
Setor 02 – R$ 100,00
Camarote A e Setor VIP – R$ 200,00
Camarote B / Balcão / Setor 3 – R$ 50,00

Telefone: (21) 2272-2900