04 de agosto de 2021
Campo Grande 28º 14º

Lojas de fantasias têm lucro abaixo do esperado no carnaval

A- A+

Aqueles que pensam que o carnaval é a época em que lojas de fantasia geram o maior lucro do ano estão enganados. Devido à queda da tradição carnavalesca as pessoas não procuram mais participar das noites de festas trajados com fantasias, mas sim, vestem-se normalmente. Os maiores consumidores nesta época são as crianças que ainda participam de matinês e festas infantis.

De acordo com alguns proprietários o comércio de fantasias está fraco devido ao fato de grande parte da população viajar nesta época do ano ou usar somente acessórios como chapéus e colares. “As pessoas não se fantasiam mais, elas usam um short, uma blusinha e um colar’, lamenta a proprietária da DNA Fantasias, Antonieta Carvalho.

Para o proprietário da Frak’s, André Morato, a loja trabalha com fantasias há cerca de sete anos e nessa época a procura não é muito alterada. “Ainda há pessoas que alugam, mas não como gostaria”, afirma. As lojas de fantasia hoje são mais procuradas para festas de formaturas.

Os proprietários lembram que atualmente não há mais bailes como nos anos 1980, as pessoas não são mais adeptas as fantasias nem as festas e isso influencia no comércio.

A proprietária da loja Pierrô Fantasias, Patrícia Andrade, possui sua loja há mais de dez anos e afirma que hoje as pessoas não se importam mais com essas tradições. A concorrência foi outro fator que a prejudicou. “As pessoas nem entram mais nas lojas, além de haver muita concorrência hoje”, afirma.

Tayná Biazus