12 de junho de 2021
Campo Grande 25º 14º

Quaresma

Quaresma tem início hoje, mas católicos não seguem a risca a abstinência de carne

A Quaresma corresponde ao tempo de preparação, onde o cristão se prepara através de jejum, abstinência de carne, mortificações, caridade e orações

A- A+

Hoje, quarta-feira de cinzas se inicia o período da Quaresma, período do ano litúrgico que antecede a Páscoa Cristã, que é celebrada por algumas igrejas como a Católica, a Ortodoxa, Anglicana e a Luterana.

Entre as denominações cristãs, o Ciclo Pascal compreende três tempos: preparação, celebração e prolongamento. A Quaresma corresponde ao tempo de preparação, onde o cristão se prepara através de jejum, abstinência de carne, mortificações, caridade e orações.


Para Danton Pereira, de 19 anos, seminarista, que veio de Porto Alegre, visitar amigos e fazer retiro, tanto no Natal quanto na Quaresma, é tempo de reflexão e orações. “A vida de Deus é repentina, mas todos devemos nos preparar, fazer jejum e abster-nos de coisas que gostamos, e não só ficar no ativismo”, afirmou.  

Segundo o seminarista, a abstinência de carne é feita pelo menos uma vez na semana durante esse período e na quinta e sexta-feira santa, a carne é totalmente excluída do cardápio. Ele também se abstém de outro tipo de alimentação, como o refrigerante, pelos quarenta dias da Quaresma, como forma de penitência e pedido de perdão pelos pecados.


Já para Evilázio Lúcio Marques, de 61 anos, Quaresma é tempo de pedir perdão a Deus e refletir sobre as coisas da vida. “Na Quaresma faço abstinência de carne, as orações são intensificadas e jejum também se torna mais frequente”, declarou. Ele disse também que segue os ritos da Igreja Católica, mas não faz nenhuma outra penitência neste período.


A católica Maria José Vieira Maciel, de 32 anos, afirma que segue a tradição da abstinência de carne, intensifica as orações, principalmente pedindo mais paciência para as adversidades da vida. “Todos da minha família seguem a tradição de abstinência da carne, que já era seguida pela minha avó e nós demos continuidade a essa tradição”. Para ela, a Quaresma representa o sofrimento de Jesus que “morreu para nos salvar”.


Luiz Melico, de 45 anos, que estava em uma peixaria da Capital, afirma que é católico, mas não segue a risca toda a preparação para a Páscoa. “Nas quartas e sextas-feiras só comemos peixe na minha casa, no período da Quaresma, mas não fazemos a abstinência durante os 40 dias”, explicou.

Na peixaria, segundo os funcionários, o movimento está normal, ainda sem alterações que acontecem geralmente na sexta-feira santa, que neste ano acontece no dia 3 de abril.