08 de dezembro de 2021
Campo Grande 32º 22º

(RE) CONSTRUÇÃO CULTURAL

Remi traz três semanas de ações e sete oficinas de artes gratuitas nas Moreninhas

Após a primeira ação no Centro Comunitário, projeto se estende até o dia 13 de novembro

A- A+

Até o dia 13 de novembro, os moradores da região do Centro Comunitário  das Moreninhas I e II podem aproveitar das mais variadas oficinas e atividades, que vão da fotografia à dança, teatro, música, arte terena e urbana. Serão mais três semanas e sete oficinas de artes, todas gratuitas e abertas ao público

Em setembro e outubro foram realizados quatro encontros na Comunidade Urbana Aldeia Marçal de Souza. Nas Moreninhas, a programação ainda traz as seguintes oficinas:

  • arte urbana (com o artista Victor Macaulin);
  • fotografia (com a cineasta Thauanny Maíra);
  • performance (com a bailarina Flora Lira),
  • teatro imaginário e afetivo (com o ator Jefley Maurício),
  • musicalização pelo ritmo (com o músico Anderson Salgado);
  • arte terena em dança, trajes e grafismo (com a artista Bianca Francelino) e
  • arte terena gráfica em tela (com o artista Bryant Soares).

"Estamos só começando, se você quer fazer parte ainda dá tempo! Fale com a gente pelo WhatsApp e participe das nossas oficinas de arte. Quem participar, receberá Certificado emitido pela UFMS", explica o projeto em publicação.

O Projeto Remi busca desenvolver o cenário artístico-cultural da Capital, e - unido à experiência de autogestão da produção artística do Projeto Kzulo - traz um processo chamado de "(re) construção coletiva da identidade e memória"de sujeitos sociais em condição de risco, especificamente os jovens indígenas de Campo Grande. Por isso essa iniciativa parte do Memorial da Cultura Indígena na Aldeia Marçal de Souza e as jovens mulheres do bairro Moreninhas.

“Tanto a história indígena quanto a negra é negada em nossa sociedade e trazer essa oficina para a comunidade coloca esse debate em questão. Conhecemos a riqueza dos detalhes da arte indígena na oficina, me identifiquei muito com essas origens. Só tenho a agradecer pelo projeto vir até nosso bairro”, disse a advogada presidente da União de Negros e Negras pela Igualdade de Mato Grosso do Sul (Unegro), Socorro Matos, segundo assessoria da ação.

Vale ressaltar que o Projeto Remi conta com recursos do FMIC (Fundo Municipal de Investimentos Culturais), da Sectur (Secretaria Municipal de Cultura e Turismo), promovido pela Prefeitura de Campo Grande.

Para os interessados, o Centro Comunitário das Moreninhas I e II fica na Rua Anaca, n. 320, região sul da Capital. Demais informações sobre as oficinas, pelo telefone (67) 99877-2587 (WhatsApp).