02 de dezembro de 2021
Campo Grande 30º 22º

Show de Guy King emociona fãs de blues na Capital

A- A+

No último sábado Campo Grande nunca esteve tão próxima das raízes do blues. O show do guitarrista Guy King, que aconteceu no Hangar Live Music, superou as expectativas de público e surpreendeu os amantes do blues sul-mato-grossenses que mostraram que o Estado é um grande consumidor do estilo musical.

A noite começou com show da banda Bêbados Habilidosos, que, há mais de 20 anos, tem sido a principal referência do blues sul-mato-grossense e uma dos grandes nomes do estilo musical no Brasil. O show emocionou muitos dos que estavam na plateia que, como de costume, cantavam em coro as composições da banda.

Segundo um dos proprietários do Hangar, Thiago Coutinho, a vinda de Guy King para o Estado significa o amadurecimento musical do público que aprecia blues não só apenas na capital, mas também no interior do Estado. “O Hangar tem dois anos e sempre investiu em uma programação variada com bandas de rock nacionais e poder fazer desse projeto do Whisky de Segunda assim como do MS Blues Festival e colocar Campo Grande no circuito internacional de eventos é ótimo e é sinal de que a cidade tem público para assimilar esse tipo de show”.

Uma das principais características do blues é, sem dúvida, o sentimento de irmandade e companheirismo entre os músicos do gênero, que nasceu em meio aos negros americanos que viram no blues uma forma de expressar seus sentimentos como angústia diante das dificuldades da vida na América em tempos de extremo preconceito. E essa onda de companheirismo tomou conta do Hangar durante toda noite.

O professor de biologia e fundador da ONG Friends in Concert, Padro de Menezes Macedo, passou boa parte da noite vendendo uma rifa de uma guitarra Ephiphone Semi-Acústica que pertencia ao guitarrista Erich Scarinci, que faleceu há oito meses. Pedro explica que a rifa é para ajudar a família de Erich, que deixou mulher e filhos. Ele era um blues man de mão cheia e a iniciativa de ong é ajudar pessoas do meio musical que estão passando por alguma dificuldade. Já ajudamos pessoas com câncer, em situação de desemprego. Hoje vamos rifar esta Ephiphone que já foi disputada por muita gente”, explica. Robson

Depois da apresentação dos Bêbados Habilidosos, foi a vez da banda Whisky de Segunda subir ao palco. Pouco antes do show, o vocalista da banda Pouco antes do show, o vocalista da banda Robson Pereira, conversou com MS Notícias sobre a expectativa da banda e satisfação e poder tocar antes de Guy King e preparar o público para o guitarrista, que hoje é dos grandes nomes do blues. “A expectativa é a melhor possível. Vamos fazer um show para cima e deixar o público no ponto para o Guy King. Para nós é um momento de pleno prazer não tem como não se emocionar.”

De fato, a Whisky de Segunda cumpriu seu propósito e fez um show eletrizante, que deixou toda plateia ainda mais ansiosa para ouvir o guitarrista Guy King, que subiu ao palco e encerrou com chave de ouro, uma das noites de blues mais especiais que já ocorreram na Capital e certamente ficará na memória dos amantes do gênero musical.

Novos shows, novos projetos

Durante a noite, o vocalista da Whisky de Segunda, Robson Pereira, adiantou ao MS Notícias que antes e junho haverá outro show internacional como parte do circuito de comemoração ao aniversário da banda na Capital. “Precisamos de certa demanda América do Sul não só do Brasil para trazer músicos para Campo Grande, mas com certeza antes de rimos para Chicago, dia nove de junho, teremos outro show”.

A banda viaja para os Estados Unidos para gravar o novo álbum, que terá seis composições próprias e quatro regravações de ícones do blues que fazem parte do repertório e da trajetória da Whisky de Segunda. Como Freddie King, Albert King e John Lee Hooker, que, segundo Robson, foi um dos “responsáveis”, pela sua entrada na banda.  “Foi por causa dele que entrei na banda por conta da voz rouca”, explica. A banda volta de Chicago dai 23 de junho e segundo Robson, ainda não há data específica para o lançamento do disco, mas a expectativa é que o álbum seja finalizado ainda este ano.

Heloísa Lazarini