24 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 21º

ALIADO

Ex-líder de Bolsonaro dos R$ 33 mil na cueca decide pedir afastamento

Convencido por aliados, Rodrigues comunicou afastamento por 90 dias

O senador Chico Rodrigues, ex-líder do governo de Jair Bolsonaro, flagrado pela Polícia Federal com R$ 33 mil dentro da cueca na 4ª-feira (14.out), decidiu pedir na manhã desta 3ª-feira (20.out) licença de 90 dias do Senado. Rodrigues comunicou a decisão a aliados e já entregou o pedido ao Senado.

Segundo analistas políticos, com isso, Rodrigues evita ser afastado em decisão liminar, que seria julgada pelo Supremo e que certamente, segundo ele mesmo compreende seu caso seria votado o afastamento. 

Seria mais um desgaste que os aliados de Rodrigues o convenceram de evitar. Com o afastamento de hoje, o STF não tem mais motivo para manter o julgamento.

A expectativa é que Rodrigues também peça afastamento da a vida pública.  

Simone Tebet, que é presidente da Comissão de Constituição e Justiça no Senado acredita que o Conselho de Ética deve se reunir para julgar com rapidez o caso de Rodrigues. "É uma situação grave que precisa ser respondida pelo Senado Federal porque é a imagem de todos nós que está em jogo, para o bem ou para o mal, independentemente do voto de cada senador. O que a política não admite é a omissão e a omissão nesse caso seria a nossa se não tomarmos alguma providência seja ela qual for", disse a parlamentar.