26 de outubro de 2021
Campo Grande 29º 17º

GERALDO RESENDE | COVID-19

Vídeo: Secretário de Saúde rebate ataques na Câmara: "Nazistas e fascistas vão para lata de lixo"

Em audiência, contrários ao passaporte da vacina ofendiam os presentes que não concordassem com seus posicionamentos, o secretário, porém, não se intimidou

A- A+

O secretário de Saúde de Mato Grosso do Sul, Geraldo Resende, reagiu com firmeza aos ataques de radicais que foram a audiência Pública na Câmara Municipal para o debate sobre o passaporte da vacina, tema desta segunda-feira (27.set.21) na Câmara de Campo Grande (MS). “Muitas vidas foram salvas, inclusive daqueles que querem interditar o debate tão importante hoje, porque muitos daqueles que gritam hoje liberdade, liberdade, liberdade... são aqueles que vão às ruas pedir intervenção militar, pedir para fechar o Congresso Nacional, pedir para fechar o STF... Que liberdade é essa? Quando querer derrotar os instrumentos da democracia construídos por todos nós da minha geração. Não tenho medo do debate, aliás, esse debate onde que vocês querem estabelecer eu estarei lá para poder dizer a vocês: Nazistas e fascistas da atualidade, que vocês não vão prosperar, o nosso povo haverá de derrotá-los, haverá de colocá-los, na lata de lixo da história.

“Defendo integralmente que a gente avance no passaporte da imunidade”, concluiu o secretário. O público presente era formado por favoráveis ao passaporte e os contrários ao passaporte, esses últimos, porém, desferiram a todo momento gritos de ordem ofendendo aqueles que fossem discursar em favor do passaporte da vacina. Durante a fala do secretário, o grupo contrário ao passaporte tentou entoar o grito “lixo”, tentando assim intimidar o secretário que coordena a pasta da Saúde no estado referência para vacinação no Brasil. Resende, no entanto, não foi intimidado. 

“Nós no Mato Grosso do Sul somos referência nacional, tanto a nossa Capital e aqui eu parabenizo o Secretário José Mauro, a Câmara de Vereadores de Campo Grande e o executivo municipal, como o estado que tem demonstrado um compromisso muito sério com aquilo que a nossa responsabilidade, que é a preservação da vida. Eu não queria me manifestar porque muitas vezes podem dizer que tenha conotação política no meu manifesto. Fiz a posição da secretaria através do Coronel Fraia, que tem sido um parceiro importante nessa estrutura que montamos e que no Mato Grosso do Sul entrega vacina no mais longínquo local em apenas 12 horas. Que nos colocou no mapa nas grandes emissoras nacionais, o estado que está hoje em 1º lugar no processo de imunização no país”, disse Resende.

A discussão transcorreu no plenário Oliva Enciso, a partir das 14h00 e contou com participação de autoridades, contra e a favor da medida.

Convocada pela Comissão Permanente de Políticas e Direitos das Mulheres, de Cidadania e Direitos Humanos, composta pelos vereadores Camila Jara (presidente), Júnior Coringa (vice), Valdir Gomes, Clodoilson Pires e Ademir Santana, esse foi o primeiro evento com presença maciça de público desde a flexibilização das medidas de biossegurança na Casa de Leis.

O MS Notícias publica (abaixo) o vídeo com a parte da fala do secretário em reação aos gritos e ataques contra o passaporte de vacinação: 

O Secretário de Saúde, José Mauro Filho, apresentou que a lei seria para 15% dos cidadãos de Campo Grande que ainda não se vacinaram. “O município deve criar uma lei para a minoria das pessoas que não se vacinaram? Isso que deve ser colocado em discussão, assim como deve ser colocado em discussão a capacidade da cidade de fiscalizar a medida”.

Após a fala de Geraldo, a audiência foi encerrada por parte do cerimonial, pois público e convidados estavam muito exaltados.