20 de setembro de 2020
Campo Grande 27º 19º

PANDEMIA

Menina de 10 anos grávida que foi estuprada pelo tio tem direito a aborto, diz professora

'Ela tem o direito de interromper esta gestação e não sofrer pressão religiosa do Estado', disse

Professora da Universidade de Brasília (UnB), a antropóloga Debora Diniz criticou duramente a ministra Damares Alvez, da Mulher, Família e Direitos Humanos, que falou em “ajudar” a menina de 10 anos que foi estuprada e está grávida do próprio tio, sem citar, no entanto, que trata-se de um caso de aborto previsto em lei.
“Menina de 10 anos é violentada desde os 6. Está grávida de um estupro. Ministra Damares quer oferecer “ajuda”. Há pressa aqui. Pressa em cuidar de uma frágil menina vítima de tortura. Ela tem o direito de interromper esta gestação e não sofrer pressão religiosa do Estado”, afirmou Débora Diniz.

Damares colocou agentes do Estado para “acompanhar de perto as investigações”. O tio da menina foi indiciado e teve pedido de prisão preventiva expedido, mas encontra-se foragido.

Nas redes, Débora Diniz explica aos seus seguidores quais são as obrigações do Estado e expõe o dever da ministra de assegurar que a menor tenha aborto seguro garantido para preservar sua infância – etapa fundamental para o desenvolvimento humano saudável.

“Ela é só uma menina. Ministra Damares fala em ‘ajudar a criança e sua família’, termina dizendo que sua equipe irá ‘acompanhar o processo criminal até o fim’. Está errada. Seu dever é garantir que essa menina seja protegida, que sua identidade seja mantida no anonimato, que não grite essa história para fazer demagogia política”, afirma Debora Diniz em trecho do texto publicado.

Fonte: Revista Fórum