07 de maro de 2021
Campo Grande 30º 20º

CASTANHAL (PA)

Negacionista, bolsonarista, diretor de hospital fura fila da vacina e é demitido

Diretor era publicamente contra a Coronavac, vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan e a farmacêutica Sinovac. Condenava a imunização e afirmava que não a tomaria

O diretor do hospital municipal de Castanhal (PA), Laureno Lemos, foi demitido após publicar em uma rede social uma foto recebendo a vacina contra a Covid-19 sem estar no grupo prioritário. Desviar a vacina para pessoas que não fazem parte do grupo prioritário é crime federal. O diretor disse que determinação que ele tomasse a vacina estava em lista enviada ao Hospital pelo Ministério da Saúde. 

Apoiador de Jair Bolsonaro, além de criticar a vacina, Lemos fez postagens em favor do presidente, classificando a oposição com a expressão "petralhas".  

Lemos também defendeu em sua rede social, o posicionamento de Jair Bolsonaro na reunião ministerial de 22 de abril de 2020 em que Bolsonaro promoveu sequências de xingamentos. 

De acordo com a prefeitura, a atitude do servidor público foi "totalmente contrária às determinações da administração municipal, já que ele não se enquadrava no grupo prioritário".

Segundo a administração municipal afirmou em nota, a prefeitura estará vigilante para que nada semelhante se repita.

Ontem, quarta-feira (20.jan.21), Laureno publicou um vídeo nas redes sociais confirmando que tomou a vacina. Para ele, as pessoas sentem “inveja”, pois ele estaria “trabalhando incansavelmente em prol do Hospital Municipal de Castanhal, o que gera inveja nas pessoas".

"Não pedi para ser vacinado, eu fui vacinado porque tinha uma determinação do Ministério da Saúde, e veio uma lista. Quer queira ou não, eu seria vacinado, assim como todo mundo será vacinado aqui no hospital. Todo mundo aqui é linha de frente, recebemos pacientes com Covid-19, tenho contato direto com paciente", afirmou.