27 de outubro de 2020
Campo Grande 28º 22º

"NÃO TEM CORRUPÇÃO"

Parente lotado: Bolsonaro tenta dizer que Chico, do dinheiro na cueca não é do governo

Apesar disso, Chico foi nomeado pelo próprio presidente para representar governo no Senado. Além disso, emprega parente de Bolsonaro

Leonardo Rodrigues de Jesus, conhecido como Léo Índio, primo dos filhos do presidente Jair Bolsonaro, é um dos empregados do gabinete do vice-líder do governo no Senado, Chico Rodrigues (DEM-RR), que foi flagrado ontem (14.out.2020) pela Polícia Federal com dinheiro em espécie nas nádegas.

Após a declaração do presidente Jair Bolsonaro que disse ter “acabado com a Lava Jato”, pois segundo ele, “não tinha mais corrupção no governo". Na manhã desta 5ª-feira Bolsonaro foi questionado por seus apoiadores e rebateu dizendo que que o senador Chico Rodrigues não faz parte de sua administração, apesar de ser vice-líder do governo no Senado. O que é um jeito que Bolsonaro tenta para se desvincular daquele que ele mesmo nomeou para representar o governo federal no Senado.

Aos apoiadores, Bolsonaro completou dizendo. "Vocês estão há quase dois anos sem ouvir falar em corrupção no meu governo". E reforçou: "O meu governo são os ministros, as estatais e bancos oficiais".

Apesar disso, o Léo Índio é filho de Rosemeire Nantes Braga Rodrigues, irmã de Rogéria Nantes, que é mãe de Flávio, Eduardo e Carlos. Índio trabalha no local desde abril do ano passado e foi nomeado com salário bruto de R$ 14.802, 41. Índio também já foi assessor do senador Flávio Bolsonaro e ficou conhecido no mundo político pela proximidade com o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ). Ele é tido como figura recorrente nos corredores do Palácio do Planalto.

O senador se defendeu por meio de nota enviada à imprensa. Veja abaixo na íntegra:   

"Acredito na justiça dos homens e na Justiça Divina. Por este motivo, estou tranquilo com o fato ocorrido hoje em minha residência em Boa Vista, capital de Roraima. A Polícia Federal cumpriu sua parte em fazer buscas em uma investigação na qual meu nome foi citado. No entanto, tive meu lar invadido por apenas ter feito meu trabalho como parlamentar, trazendo recursos para o combate à COVID-19 na saúde do estado.

Tenho um passado limpo e uma vida decente. Nunca me envolvi em escândalos de nenhum porte. Se houve processos contra minha pessoa no passado, foram provados na justiça que sou inocente. Na vida pública é assim, e, ao logo dos meus 30 anos dentro da política, conheci muita gente mal intencionada com o intuito de macular minha imagem, ainda mais em um período eleitoral conturbado, como está sendo o pleito em nossa capital.

Digo a quem me conhece: fique tranquilo. Confio na justiça e vou provar que não tenho nem tive nada a ver com qualquer ato ilícito. Não sou executivo, portanto não sou ordenador de despesas e, como legislativo, sigo fazendo minha parte, trazendo recursos para que Roraima se desenvolva. Que a justiça seja feita e que, se houver algum culpado, que seja punido nos rigores da lei.

Chico Rodrigues
Senador"