27 de janeiro de 2022
Campo Grande 30º 22º

NACIONAL | CAMAÇARI (BA)

Criminosos filmam execução de músico de 23 anos; imagens fortes

Rapaz foi sequestrado após realizar um show; familiares dizem que ele não tinha nenhum ligação com faccionados

A- A+

Imagens divulgadas na rede social nesta segunda (29.nov) mostram o exato momento da execução de Renato Santos Evangelista Sobrinho, de 23 anos. O rapaz era percussionista e foi sequestrado após um show em Vila de Abrantes, Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (BA), no domingo (21.nov.21). Desde então, familiares procuravam pelo jovem. 

A Polícia Civil baiana montou uma operação na quarta (24.nov.21) para tentar achar o músico. 

As apurações apontam que o corpo dele esteja enterrado perto do local conhecido como "Mutirão". Amigos, inclusive, não descartam a possibilidade. Cachorros da Coordenação de Operações Especiais da Polícia Civil (COE) foram deslocados para a 26ª Delegacia Territorial (DT/Vila de Abrantes), que apura o caso.

Também na quarta, assim como um dia antes, familiares do percussionista conhecido pelo apelido de "Renatinho" fizeram uma manifestação na BA-099 (Estrada do Coco) para pedir Justiça. O grupo saiu da região de Portão com destino à região conhecida como "Mutirão". A 52ª Companhia Independente da PM (CIPM/Lauro de Freitas) organiza o trânsito.

Apuração da reportagem do Aratu On mostra que Renato não tinha antecedentes criminais, o que reforça depoimento de vários amigos. 

A polícia ainda busca nesta segunda (29.nov.21) pelo corpo do jovem que aparece sendo executado em vídeo. Veja abaixo: 

DESAPARECIMENTO

O jovem, que morava em Portão - bairro controlado por uma facção criminosa diferente do grupo que atua em Vila de Abrantes, estava trabalhando na região do "Mutirão". Após o show, ele foi chamado por traficantes.

"Chegou lá no 'Mutirão', os traficantes o pegaram, como se ele fosse traficante de Portão. Ele era inocente, trabalhava com todos. Isso não está certo. Eles pegaram o menino e enterraram o corpo", disse um dos amigos de Renato, durante o protesto ocorrido na terça-feira (23.nov.21).

A mãe do músico, abalada, resumiu o caso. "Eles pegaram meu filho. Ele está em algum lugar. Era um menino querido, só queria saber de tocar. Trabalhava também com o padrinho de marceneiro. Eu fui atrás dele. Liguei para meu filho. Nesse dia à noite [do show] ele estava tão feliz, tão sorridente", disse Paula Santos.

Os músicos da banda foram ouvidos pela Polícia Civil e os detalhes do depoimento não foram dados. 

INVESTIGAÇÕES 

"Peão", "Bira" e "Bical". Esses são os três homens identificados pela Polícia Civil como autores da morte do músico.  

Agentes da unidade sustentam que Ubiraci dos Santos, o "Bira" e o comparsa dele, "Peão", aparecem na imagem.

O bandido que filma o assassinato, a mando do líder do Bonde do Maluco na região, ainda não foi identificado pela polícia.  Ainda de acordo com policiais da 26ª Delegacia Territorial, o chefe da facção que comanda a região conhecida como "Mutirão" é "Bical", que atende ordens de Fábio Souza dos Santos, o Geleia, preso em 2018 no Paraguai.